(32) 3061-1694

Entenda o conceito de benchmarking e conheça as 5 fases deste processo.

Para quem está abrindo um negócio ou até mesmo quem já tem alguns anos no mercado, é sempre importante ter em quem se inspirar. São essas referências que nos ajudam a identificar padrões operacionais que funcionam e que também podem ser aplicados naquilo que fazemos. 

Porém, como encontrar autoridades em seu nicho para se inspirar em suas estratégias que dão certo?

Neste post, você vai aprender um novo conceito, o benchmarking. Veja como melhorar os processos de seu negócio tendo como referência os melhores nomes do seu mercado!

O que é benchmarking?

Benchmarking é uma técnica que consiste em conhecer, acompanhar, se inspirar e aplicar processos administrativos e operacionais dos melhores nomes de seu mercado.

Mas como fazer isso?

Resumidamente, o benchmarking é feito através de muita pesquisa avaliativa e, em alguns casos, até mesmo acompanhamento de perto em uma empresa reconhecida no mercado.

Em tradução livre, benchmarking significa “avaliação comparativa” ou “ponto de referência”. Ou seja, é uma maneira de comparar os esforços que você tem feito com o de outras empresas para melhorar seu negócio a partir das estratégias de sucesso de outros empreendedores.

Porém, fique muito atento! Quando falamos em se inspirar no que outras pessoas fazem de valor, não queremos dizer que você deve copiar.

O mais importante no benchmarking é conseguir abrir sua mente e pensar fora da caixa, ou seja, ir além daquilo que você já está fazendo. 

Então, a partir de estratégias de sucesso de outros empreendedores, você consegue buscar melhorias para seu negócio que, sem o benchmarking, poderia nunca ter imaginado que funcionariam.

Conheça as 5 fases do processo de benchmarking

Você já entendeu que o benchmarking é um exercício de pesquisa contínuo. Ele pode ser feito tanto a partir das empresas ou empreendedores que você admira quanto a partir da análise de concorrentes.

Independentemente disso, existem 5 fases fundamentais em todo processo de benchmarking, que são:

  1. Planejamento das investigações: Este é o momento em que você se prepara para analisar as referências de seu mercado. É nessa fase que você deve responder 3 perguntas: qual é a referência que você busca? Com quem você quer comparar seu negócio? Qual metodologia você utilizará para coletar os dados? A etapa de planejamento deve ser muito bem preparada para que todo o restante funcione bem.
  2. Análise do que foi investigado: Esta é a fase da análise, ou seja, momento em que você pega todas as informações coletadas e entende o que seus concorrentes ou empresas que você admira têm feito melhor do que você.
  3. Incorporação das novas práticas: Depois da análise, é importante pensar em como você pode aplicar as boas práticas que coletou em seu negócio. Mostre para toda sua empresa os resultados de seu benchmarking e pensem juntos como as ações de outros empreendedores podem ser incorporadas em sua rotina (claro, sem copiar).
  4. Ação: Esta é a hora de colocar a mão na massa! Tire o planejamento do papel e coloque em prática tudo aquilo que você analisou. Não se esqueça de medir o desempenho de cada nova ação implementada para ter certeza de que o que você está fazendo está gerando bons resultados. Lembre-se também de fazer melhorias e adaptações em suas ações sempre que necessário, afinal, todo processo precisa se adequar à realidade do seu negócio.
  5. Maturidade: A fase de maturidade só será alcançada depois que todas as ações estiverem funcionando bem, ou seja, depois que os novos processos já estiverem funcionando e gerando resultados positivos.

Tipos de benchmarking

Existem 5 tipos de benchmarking e não significa que só porque você escolheu um modelo agora que precisa excluir os outros. Muito pelo contrário, você pode fazer vários bench para encontrar novas maneiras de pensar seu negócio.

1. Benchmarking interno

Para esse tipo de benchmarking, você terá como referência os processos de sua própria empresa. Mas como assim?

Vamos supor que você tenha um time de vendas e um de marketing.

Pode ser que seu time de vendas tenha um processo muito bem estruturado para se comunicar com o cliente interno. Já o time de marketing pode estar com alguns problemas para conversar com o cliente externo.

Por que não pegar dicas com o time de vendas e pensar em uma maneira de se comunicar internamente que facilite o trabalho da equipe de marketing?

Ou então, você está escalando seu negócio e quer começar uma nova empresa em outra cidade ou até mesmo outro país.

Para isso, é muito importante fazer um benchmarking interno para que os processos da nova sede sejam tão bem sucedidos quanto os da primeira sede.

2. Benchmarking competitivo

Quando falamos de competição, estamos querendo dizer concorrentes.

Isso mesmo, para esse tipo de bench, você pesquisará as boas práticas de seus concorrentes.

Veja o que eles têm feito e que está gerando bons resultados e pense se essas estratégias também seriam válidas para seu negócio. Mas não se esqueça: você deve apenas se inspirar e não copiar o que o outro está fazendo.

3. Benchmarking genérico

Como o próprio nome sugere, esse é um benchmarking genérico, ou seja, seu ponto de referência serão os processos e resultados de qualquer empresa, não sendo necessário ser alguma da sua área de atuação.

Por exemplo: Você já reparou como a Apple é referência em lançamento de produtos? 

Uma boa dica é entender o que eles fazem antes para gerar todo o boom do pré-lançamento e utilizar algumas dessas estratégias para colocar seu produto ou serviço no mercado.

4. Benchmarking colaborativo

Também conhecido como benchmarking de cooperação, esse tipo de bench ocorre quando há uma parceria entre duas empresas diferentes e compartilham seus processos.

É muito importante no benchmarking colaborativo ter contato direto com alguém da outra empresa. Assim, vocês podem conversar e entender as práticas ou até mesmo modelo de negócio de cada um.

5. Benchmarking funcional

Por fim, no benchmarking funcional, que é a forma mais comum de bench, você terá como ponto de referência os resultados de outra empresa.

Não é necessário analisar um concorrente, mas é muito importante que a empresa tida como ponto de referência tenha atividades parecidas com a sua.

Por exemplo: se você tem um curso online sobre alimentação saudável, pode fazer benchmarking funcional com um Produtor que tenha um curso online sobre adestramento de cães para entender ações como:

  • Campanha de marketing;
  • Pesquisa de persona;
  • Desenvolvimento de marca; etc.

Como fazer benchmarking?

Como você viu, existem 5 tipos de benchmarking e cada um com suas especificidades. 

Apesar disso, na hora de fazer um bench, há algumas etapas que são fundamentais, e é sobre elas que falaremos agora:

Tenha um objetivo

Antes de qualquer bench, você precisa ter muito claro quais são os objetivos que quer alcançar ao aplicar essa estratégia.

Quais são as áreas de seu negócio que precisam ser melhoradas? O que você tem visto as pessoas fazerem que ainda não faz?

Depois de definir o objetivo que te levou a fazer um benchmarking será muito mais fácil escolher com quais empresas ou empreendedores você irá conversar, que é nosso próximo tópico.

Escolha seu ponto de referência

Parece bobeira falar sobre isso, afinal, o grande objetivo do benchmarking é justamente entender os processos de uma empresa para ver o que pode ser aplicado em seu negócio. Mas acredite, essa é uma fase que muitos empreendedores acabam esquecendo.

Então, antes mesmo de sair por aí conversando com todo mundo, defina quem serão seus pontos de referência para conseguir entrar em contato com eles.

Entre em contato com os responsáveis por cada setor da empresa escolhida

Esse é o momento que muitas pessoas acreditam ser o mais difícil: conseguir o contato dos responsáveis por cada setor da empresa que será seu ponto de referência para fazer benchmarking.

Nessa hora, você precisa deixar a vergonha de lado. É muito importante fazer um bom networking para conseguir com mais facilidade os contatos das pessoas com quem você quer conversar.

Só tome cuidado para não selecionar muitos pontos de referência. Isso pode dificultar a análise de seus dados.

Determine os indicadores de sua análise

Lembra dos objetivos que você já definiu? Eles serão muito importantes na hora de escolher os indicadores que serão analisados.

Faça uma tabela para conseguir comparar quantitativamente e qualitativamente os resultados de todas as empresas que você analisar. Assim, você terá uma visão geral de tudo o que é feito, seus resultados e poderá, então, pensar nas ações para seu negócio.

Colete os dados

Existem algumas ferramentas que você pode utilizar para coletar os dados, como SimilarWeb e Klout ou as próprias redes sociais. 

Há também a possibilidade de utilizar o bom e velho excel, conversar com os pontos de referência e você mesmo coletar os dados.

Independentemente da forma como você irá fazer isso, é muito importante conseguir quantificar todos os indicadores que você selecionou anteriormente para analisar. Afinal, é isso que vai te fazer entender quais são as estratégias de cada empreendedor ou empresa que estão dando certo.

Compare os dados coletados

Lembra da tabela que falamos para você fazer com todos os indicadores que quer analisar? Esse é o momento de comparar os resultados entre as empresas selecionadas para o bench e seu próprio negócio.

Perceba pontos em comum entre todas as empresas que você está analisando. Isso vai te ajudar a identificar quais são as estratégias que possivelmente funcionam melhor.

Elabora um plano de ação

Por fim, não se esqueça de elaborar um plano especificando as ações que você deve tomar para começar a implementar as estratégias analisadas em seu negócio.

Mas não foque apenas no que está faltando. Pense também nos pontos altos, ou seja, naquilo que você já faz e que dá certo e procure melhorar seus processos.

Fonte: https://blog.hotmart.com/pt-br/benchmarking/

Comentários

comentários

Share This