(32) 3061-1694

A declaração de pandemia do COVID-19, feita pela Organização Mundial da Saúde, acendeu um alerta a todos os países sobre a necessidade de tomar medidas contra a disseminação da doença. De fácil contágio, bastando o contato com secreções de pessoas infectadas ou o toque em superfícies contaminadas, o novo vírus impõe um desafio a todos: permanecer em casa em isolamento social. Neste cenário, como fica a receita dos pequenos negócios que tiveram que fechar as portas?

O consumo de produtos e serviços não essenciais – ou seja, com exceção de alimentos e medicamentos – deve passar por uma queda natural em um cenário onde os estabelecimentos não podem abrir e as pessoas não devem sair de casa. Mas com a ajuda da internet e da tecnologia é possível continuar alcançando os seus clientes mesmo que não seja fisicamente e que você nunca tenha vendido online.

Para saber como gerar renda durante a quarentena é preciso analisar qual a atual presença digital do seu negócio. Se você costumava trabalhar apenas com uma loja física, sem nenhum perfil em redes sociais ou site próprio, chegou a hora de mudar esse cenário. Claro que não é necessário criar correndo um e-commerce superestruturado com sistemas complexos de venda, mas é preciso conhecer as facilidades da tecnologia para continuar vendendo mesmo durante o período de distanciamento social.

Lembre-se que qualquer estratégia adotada para minimizar o impacto econômico da pandemia de coronavírus na sua empresa deve ser muito bem planejada antes de ser executada. Fazer promoções, por exemplo, pode parecer uma boa solução para acabar com o estoque de mercadorias, mas sem uma análise financeira existem chances da ação piorar a situação do seu fluxo de caixa. 

Quer saber como gerar renda durante a quarentena? Confira 8 dicas para enfrentar a crise:

1. Faça entregas próximas da sua casa

Se você precisou fechar as portas do seu negócio, e com isso ficou com um estoque parado, que tal começar a fazer entregas em endereços próximos? Muitas pequenas empresas, principalmente do ramo de alimentação, fizeram promoções antes de fechar para a quarentena de coronavírus em busca de gerar receita e acabar com o estoque. Quem não conseguiu usar essa estratégia, pode continuar divulgando a entrega dos produtos pelo bairro.

Uma vantagem de ser você mesmo quem faz as entregas é o controle de higiene em todas as etapas de produção e venda do produto. Lembre-se de evitar o contato físico com o cliente e, se puder, deixe a mercadoria em algum lugar de modo a manter uma distância mínima de 2 metros das pessoas. Higienize as suas mãos antes e depois de entregar o pedido, e escolha fazer entregas caminhando ou usando meios de locomoção próprios como bicicleta ou carro para evitar circular com transporte público. 

2. Venda vouchers de consumo para o futuro

Uma estratégia que está sendo bastante utilizada pelos negócios que fecharam as portas por causa da pandemia do coronavírus e não podem simplesmente se tornarem lojas virtuais, como salões de beleza e estúdios de tatuagem é a venda antecipada de produtos ou serviços.

Se você tem um salão de cabeleireiro, por exemplo, pode criar vouchers para os clientes garantirem o atendimento quando o comércio puder reabrir, e ao mesmo tempo contribuírem com a receita do seu negócio. Seja transparente com o público e divulgue que a compra do cupom é uma maneira de manter a sua empresa durante a crise e que ele pode contribuir para isso. 

3. Entre para aplicativos de delivery

Alguns setores não apenas não estão sentindo impactos econômicos negativos do coronavírus como continuam com a demanda crescente. Um deles é o dos aplicativos de entrega. Como muitas pessoas estão em isolamento social em casa, os pedidos de entrega de comida, produtos da farmácia e itens do supermercado não param.

Com isso, dependendo do seu setor de atuação, é possível cadastrar a empresa para que os usuários consigam comprar os seus produtos pelos apps. E a lista não inclui apenas o setor de alimentação. Se você um pet shop, por exemplo, também pode se cadastrar em aplicativos de entrega. 

É preciso se planejar para atender os clientes em horários flexíveis e de alta procura, pensar nos gastos com embalagens diferentes das que você teria no seu estabelecimento fixo e, claro, continuar e até fortalecer todos os cuidados sanitários que possam impedir o avanço do novo coronavírus. Coloque na conta o custo das entregas e a porcentagem dos aplicativos. 

4. Crie uma loja online

Existem ferramentas na internet que qualquer pessoa pode usar para começar a vender online no seu próprio e-commerce. Como falamos, se você quer saber como gerar renda durante a quarentena, deve pensar na possibilidade de fazer o seu negócio continuar online.

Lembre-se da importância do atendimento ao consumidor, que no ambiente virtual continua tão essencial quanto nas vendas feitas com contato físico com os clientes. Mantenha canais de comunicação com os consumidores, seja por e-mail, telefone ou mensagens de WhatsApp. Esteja disponível para tirar dúvidas ou resolver qualquer problema de entrega ou de defeito em produtos. 

5. Use as redes sociais para receber pedidos

Se você não precisa de uma estrutura grande para vender os produtos do seu negócio na internet ou quer começar o quanto antes, redes sociais como Instagram e Facebook contam com ferramentas voltadas exclusivamente para negócios online. Com elas é possível expor produtos com preços e direcionar o consumidor para a compra. Use o chat dos aplicativos para receber pedidos e se comunicar com os clientes.

Aproveite o que cada plataforma oferece de recurso para vender mais, como o stories do Instagram. Lembre-se que não é preciso estar em todas as redes sociais, apenas naquelas que mais combinam com o seu público-alvo. Manter manter uma frequência de posts também é importante para não ser “esquecido” pelos algoritmos das redes e parar de alcançar o público desejado. 

6. Faça parte de campanhas de consumo local

A comunicação com o seu cliente deve ficar ainda mais forte durante a quarentena contra a pandemia do novo coronavírus. E você pode aproveitar espaços como os perfis do seu negócio nas redes sociais para aderir e divulgar campanhas sobre o consumo no comércio local. Deixe o cliente saber que a sua empresa está entregando no bairro de forma segura e com todos os cuidados determinados pelas organizações de saúde sobre o mínimo de contato físico.

Use meios offline, como o quadro de avisos do seu condomínio, para informar para os moradores que, embora o seu negócio esteja com as portas fechadas, ele pode encontrar alguns produtos fazendo o pedido direto com você. Faça o mesmo caso seja um prestador de serviço: divulgue o que o consumidor pode comprar com antecedência para te ajudar a manter o negócio de pé. 

7. Não demore para agir

Mesmo que o seu negócio ainda não tenha sido diretamente impactado pela pandemia de COVID-19, é importante não demorar para agir e planejar ações de inovação dentro da sua empresa. A diminuição de clientes e a queda na receita será uma consequência inevitável da instabilidade de renda pela qual muitos brasileiros podem passar nos próximos meses, com situações imprevisíveis e demissões no trabalho. 

Além disso, o quanto antes você preparar o seu negócio para o momento de escassez, mais facilmente sairá da crise com fôlego para continuar no mercado. E também terá menos chances de contrair dívidas caso consiga fazer uma análise financeira do seu fluxo de caixa com planejamento e previsões sobre quanto será necessário para manter o seu negócio aberto, ainda que apenas virtualmente. 

8. Use o tempo livre para se capacitar

Além de botar a mão na massa e continuar buscando clientes em plataformas online para que o seu negócio sobreviva à crise econômica gerada pela pandemia de coronavírus, use o tempo de quarentena para se capacitar ainda mais.

Diversas plataformas de cursos online estão com acesso gratuito por causa da pandemia. Aproveite para estudar temas como empreendedorismo, finanças e marketing digital para aplicar ao dia a dia do seu negócio.

Para quem quer cursos para gerar renda, é possível assistir aula sobre conteúdos como programação para web e de jogos, fotografia e edição de imagens, além de idiomas como o inglês.

Fontes: https://www.donodonegocio.com.br/cresca-mais/como-gerar-renda-durante-a-quarentena-mesmo-com-seu-negocio-fechado/

Comentários

comentários

Share This