(32) 3061-1694

O marketing digital vai mudar drasticamente em 2019. E, infelizmente, a maioria das mudanças não vai te agradar.

E não, eu não quero dizer mudança de um ponto de vista de concorrência. Você já sabe que todo ano o marketing se torna cada vez mais caro e competitivo. Isso é um fato.

Só olhe o gráfico acima: é a receita anual do Google. Como você pode ver, durante a última recessão, o Google ganhou mais e mais dinheiro. Eles não tiveram um ano ruim sequer.

Uma das principais razões pelas quais estamos vendo o marketing digital mudar tanto é por causa da adoção das novas tecnologias. Mas também porque a internet está ficando saturada… existem 1.805.260.010 sites na internet.

Isso quer dizer que existe 1 site para cada 4 pessoas no mundo. Isso é loucura!

Então vamos entrar de cabeça aqui… Vamos ver como o marketing digital vai mudar esse ano.

Mudança Drástica nº 1: SEO não vai ser mais a mesma coisa

Eu vou começar por esse item porque eu sei que você vai odiá-lo. SEO vai migrar para busca por voz.

Em 2018, 2 em cada 5 adultos usaram busca por voz uma vez por dia. Mas, em 2020, 50% de todas as buscas serão feitas por voz, segundo a ComScore.

E não serão só pessoas falando nos microfones dos seus celulares ou laptops, 30% da navegação na internet não vai sequer se dar em dispositivos com tela. Isso quer dizer que mais pessoas vão fazer buscas através de dispositivos como Google Home ou Alexa.

Eu sei que você não acha isso muito legal porque toda vez que eu escrevo sobre busca por voz ninguém lê o post. É um dos temas que profissionais de SEO gostariam que não existisse.

Por quê?

Bom, estar na primeira página não quer dizer nada quando o assunto é busca por voz. Ou o Google vai te puxar do seu site ou não vai.

E, segundo, conversões a partir de busca por voz vão ser mais baixas porque as pessoas não vão até o seu site. O Google já vai dar a resposta a elas. Pelo menos até descobrirmos como resolver isso enquanto profissionais de marketing.

Mas em vez de ver a busca por voz como uma coisa ruim, pense da seguinte forma: ninguém se importa com posts sobre o assunto, o que significa que a maioria dos profissionais de SEO não vão estar preparados para isso.

Essa é a sua chance de sair na frente dos seus concorrentes e conseguir esse tráfego antes que o mercado migre para a busca por voz.

Veja alguns artigos que vão te ensinar como maximizar seu tráfego de busca por voz.

Mudança Drástica nº 2: Espere mudanças de algoritmo mais complexas

De acordo com o repositório de mudanças de algoritmo do Moz, houve 12 atualizações em 2018.

Por mais que pareça muito, não é. Em 2017, houve 13 atualizações, e em 2016, 11. Ou seja, a média do Google vem sendo de 12 atualizações por ano, juntando as atualizações confirmadas e as não confirmadas.

Mas vamos dar uma olhada nas atualizações mais antigas…

No dia 17 de julho de 2015, o Google lançou o Panda 4.2. Eu sei que vários de vocês odiaram a atualização do Panda update, mas ela não foi tão ruim. O Google só se livrou dos sites de spam com conteúdo de baixa qualidade.

Eles não queriam ranquear sites com milhares de posts de 300 palavras com conteúdo duplicado.

Dá para culpá-los por isso?

E a mudança que o Google fez no dia 27 de Setembro de 2016, a atualização Penguin 4.0?

Se você construísse links de spam, eles não só penalizariam você, na maioria dos casos eles desvalorizariam esses links.

Isso quer dizer que, se você fizesse alguma coisa esquisita como comprar um monte de backlinks, e fosse pego, esses links seriam simplesmente desvalorizados em vez de fazer com que seu site inteiro fosse banido.

Se você olhar as últimas atualizações de algoritmo, elas vêm se tornando mais complexas e difíceis de enfrentar. Isso porque a tecnologia evolui muito rápido.

O Google não precisa mais olhar só para métricas como conteúdo e número de backlinks para determinar se um site ranqueia bem. Eles também podem olhar métricas de usuário, como:

  • Os usuários estão passando mais tempo no seu site do que em outros sites no ranking do Google?
  • As pessoas estão saindo do seu site e voltando para a página de resultados do Google?
  • As suas consultas de marca estão aumentando com o tempo? Ou as pessoas não te veem como marca?
  • As pessoas acham seu site mais atraente… Isto é, sua taxa de cliques é mais alta?

Se você quiser enfrentar o Google, você vai precisar mudar sua mentalidade. Não se trata de entender o Google, se trata de entender os usuários.

O Google tem um objetivo: ranquear os sites que os usuários mais gostam no topo. Isso faz com que as pessoas voltem, continuem usando o Google, e aumenta a receita geral deles.

Se você consegue se colocar no lugar dos seus usuários, você vai estar numa posição melhor para fazer isso.

O primeiro passo para fazê-lo é perceber que, quando alguém faz uma busca por qualquer palavra-chave, essa pessoa não está só “fazendo uma busca”, ela está procurando uma solução para o seu problema.

Entendendo a intenção da sua busca, você vai ter mais chances e mais capacidade de resolver esse problema. Você pode usar ferramentas como o Ubersuggest para te ajudar, pois ela vai te mostrar frases de cauda longa (problemas que as pessoas estão tentando resolver).

Fazendo isso, você vai ser capaz de criar a melhor experiência, o melhor produto, ou até o melhor serviço que as pessoas merecem.

É assim que você faz com que seu site esteja sempre ranqueando bem a longo prazo mesmo que os algoritmos se tornem mais complexos.

Mudança Drástica nº 3: Não dá para construir uma empresa a partir de um único canal

Você conhece o Dropbox?

Claro que sim, é uma empresa multibilionária… E você provavelmente tem ele instalado no seu computador.

Quando eles lançaram, eles tentaram adquirir usuários pelo Google AdWords. Você consegue chutar quanto a aquisição de um cliente custava para eles?

Variava entre US$200 e US$300.

Sabe quanto custa o Dropbox?

US$60 por ano

A conta não fecha. Por que você gastaria US$200 para adquirir um usuário que só paga US$60?

Mesmo quando alguém te paga US$60, não é tudo lucro. Por isso, o Dropbox teve que crescer usando growth hacking.

dropbox flow

O Dropbox te dá mais espaço gratuito quanto mais usuários você convida. É um ótimo exemplo de growth hacking. Foi assim que eles se transformaram em uma empresa multibilionária.

Hoje em dia, se você fosse criar um fluxo parecido na sua empresa, não funcionaria tão bem. Não dá mais para criar uma empresa usando um canal como o Dropbox.

E você se lembra como o Facebook cresceu?

Quando você se cadastrava, eles entravam na lista de contatos do seu email e enviavam um convite para cada um dos seus contatos para que eles se cadastrassem no Facebook, mesmo que você não quisesse.

facebookfriends

Esse único canal ajudou o Facebook a se tornar a empresa de centenas de bilhões de dólares que conhecemos hoje.

Hoje em dia, se você receber um email dizendo que um amigo seu está te convidando para se cadastrar em um novo site ou rede social, você provavelmente vai ignorá-lo.

Repito, não dá mais para construir um grande negócio usando apenas um canal de marketing.

Então o que isso quer dizer para você?

Antes de mais nada, canais populares de marketing que são lucrativos ficam saturados rápido e logo você terá vários concorrentes.

É por isso que você precisa aproveitar todos os canais. Desde marketing de conteúdo e anúncios pagos até social media marketing e SEO passando por email marketing… Você precisa usar todos os canais que existem por aí.

É a sua única opção para se dar bem a longo prazo.

Um único canal não sustenta mais seu negócio. Mas se você juntar todos eles, você ainda pode conseguir fazer seu negócio crescer.

E, bom, se alguma coisa acontecer em algum canal, como uma mudança de algoritmo, pelo menos seu negócio não vai ser tão afetado porque você diversificou.

Independente do quanto você ame uma forma de marketing, nunca dependa só dela. Adote uma abordagem multicanal.

Mudança Drástica nº4: Ter um blog não vai funcionar tão bem

Eu falei um pouco disso mais acima… A internet está saturada. Existem sites demais.

Claro, a maioria desses 1,8 bilhões de sites não estão sendo atualizados e muitos estão inativos.

Mas desses 1,8 bilhões de sites, quase 1 bilhão são blogs. Isso é praticamente 1 blog para cada 7 pessoas.

Quando eu comecei meu primeiro blog em 2005, não havia tantas pessoas na internet criando sites ou produzindo conteúdo. Também não tinha tanta gente usando o Google.

No entanto, o Google adorava conteúdo. Todo mundo dizia o quão fundamental era o conteúdo, porque, se você produzisse conteúdo de qualidade, o Google os ranquearia por um simples fato… Faltava conteúdo no índice deles.

Mas, com o tempo, o Google deixou de ter esse problema de escassez de conteúdo. Eu até me atrevo a dizer que eles têm até conteúdo demais para escolher.

É por isso que eles podem ser mais exigentes para decidir se vão ranquear seu site ou não. Não se trata só dos backlinks ou de otimizar seu código on-page code, se trata de oferecer o que é melhor para o usuário final.

Isso quer dizer que o Google vai ranquear conteúdo fresco que não tenha sido regurgitado.

Se você quiser seguir o caminho de só escrever dezenas de artigos e tentar ranquear para todos os assunto existentes, você pode. Ainda é possível, mas vai levar mais tempo e vai ser mais difícil, porque tem mais concorrência.

Mais do que isso, do jeito que o marketing de conteúdo está mudando em 2019, e vimos um pouco disso em 2018, o que você precisa é atualizar seu conteúdo.

A sua estratégia não pode ser mais escrever muito conteúdo. Você precisa ter um plano de atualização regular do seu conteúdo.

Por exemplo, tem uma pessoa que trabalha para mim em tempo integral procurando meus posts antigos para atualizá-los. Além disso, agora eu só tenho tempo para escrever um texto por semana. Não tem nenhuma possibilidade de eu pesquisar meu blog e atualizar mais de mil posts.

Você vai ter que fazer a mesma coisa se quiser manter seu tráfego de busca. Se você já está estabelecido e tem um blog antigo, passe metade do seu tempo atualizando seu conteúdo antigo. Se seu blog é novo, você não precisa passar mais de 5% do seu tempo atualizando seu conteúdo.

Mudança Drástica nº 5: Você vai precisar focar em novos mecanismos de busca e novos tipos de conteúdo

Todos podemos concordar que conteúdo em texto está saturado.

Se você não concorda comigo, volte à Mudança Drástica nº 4 😉

Todo mundo sabe que demora muito para ranquear no Google. Se você não está disposto a esperar um ano, você nem precisa passar muito tempo fazendo SEO tradicional.

E se eu dissesse que existe outra forma de SEO na qual você pode obter resultados muito, muito rápidos?

Tão rápidos que, dentro de 30 dias (ou até alguns dias!) você pode ranquear no topo. E, melhor ainda, esses rankings significam que você vai obter tráfego.

Veja só meu tráfego de busca desse mecanismo de busca diferente:

youtube search

Você sabe qual é esse mecanismo de busca?

YouTube!

Eu gero 198.380 visualizações todo mês pela busca do YouTube. E essas pessoas assistem meu conteúdo por uma média de 559.237 minutos mensais.

Eu estou gerando 388 dias de tempo de visualização todo mês só pela busca do YouTube. É uma loucura!

O YouTube não é nem de longe tão concorrido quanto o Google. Também não está otimizado para a loja do iTunes se você tiver um podcast.

Não concentre seus esforços apenas no Google.

Concentre seus esforços em formas menos saturadas de conteúdo como vídeo e áudio enquanto otimiza para mecanismos de busca menos comuns como o YouTube e o iTunes.

Além disso, esses novos canais têm um público bastante lucrativo, por ser ele muito engajado. Você sabia que 45% dos ouvintes de podcast têm uma renda familiar anual de US$75,000 ou mais?

Veja alguns posts que vão te ajudar:

Seu você não tem um orçamento alto para marketing, não se preocupe. Esses canais ainda não são tão caros ou concorridos. Você também não precisa de um estúdio para filmar ou gravar. Você pode só pegar seu iPhone e começar a se gravar.

Acredite ou não, muita gente prefere isso a um conteúdo de estúdio de qualidade por ser mais autêntico.

Mudança Drástica nº 6: Os orçamentos vão passar de conversão para otimização da taxa de conversão

No começo desse post, eu mostrei a receita anual do Google.

Como você pode ver, ela vem aumentando continuamente, mesmo em períodos de recessão.

Claro, parte disso tem a ver com mais gente tendo acesso à internet. Mas também o custo por clique vem aumentando.

Mesma coisa com anúncios do Facebook. Eu conheço literalmente centenas de afiliados que tinham uma receita de mais de um milhão de dólares por ano porque os anúncios do Facebook eram muito acessíveis.

Mas em Junho/Julho de 2017, o Facebook chegou a um ponto em que eles tinham mais anunciantes do que estoque… Pelo menos nos Estados Unidos.

Ao longo do tempo, essa tendência se seguiu em outros países, o que significa que o custo dos anúncios do Facebook aumentou drasticamente.

Dê uma olhada no gráfico abaixo. Como você pode ver, as empresas gastam a maior parte do orçamento delas com Google AdWords e anúncios do Facebook.

marketing by spend

Agora vamos ver que canal gera o maior ROI. Adivinha qual é?

marketing roi

SEO, certo?

Apesar de a tabela mostrar que SEO produz o maior ROI, é, na verdade, o segundo colocado.

O que é difícil de ver, porque está classificado como “outro” na tabela e agrupado com outros canais de marketing, é a otimização da taxa de conversão. E foi esse canal que produziu o maior ROI de longe. Deixou o SEO comendo poeira.

Foi difícil de ver porque são poucas empresas que gastam com otimização da taxa de conversão. E quando elas gastam, é uma parte muito pequena dos seus orçamentos.

Em 2019, passe a fazer testes A/B. Seja usando o Crazy Egg ou qualquer outra solução existente, não deixe de incluí-la no seu arsenal de marketing.

Mudança Drástica nº 7: Profissionais de marketing vão aprender o que são funis

Talvez você tenha ouvido falar de funis de marketing ou funis de vendas, mas aposto que você não os está usando.

E não, um funil não é algo simples como uma sequência de emails.

Pelo fato de anúncios estarem se tornando mais caros, você vai se pegar fazendo coisas como mais testes A/B (como eu mencionei acima), mas só vai ajudar até certo ponto.

Conforme seus concorrentes também comecem a fazer testes A/B, você vai ver que os preços dos anúncios vão subir de novo.

Então o que fazer?

Você vai precisar fazer o upselling e downselling para os seus visitantes. Eu aprendi essa tática com o Ryan Deiss há alguns anos e ele acertou na mosca.

A melhor maneira de gerar receita não é conseguindo mais clientes, é conseguindo mais dinheiro dos seus clientes já existentes.

Claro, sua base de clientes só vai gastar até um certo limite. Mas se você oferecer upsells e downsells você pode ver aumentos de 10% a 30% na sua receita. E, em alguns casos, você pode até duplicá-la.

Os pontos fundamentais de upselling e downselling são os seguintes:

  1. Ofereça pelo menos 2 ou 3 upsells (ou downsells).
  2. Se as pessoas não aceitarem a oferta, pense fazer a mesma oferta de novo, mas parcelada.
  3. As melhores ofertas são velocidade e automação. Ou seja, se você consegue ajudar as pessoas a obter resultados rápido ou de forma automatizada, tem muito mais chances de elas aceitarem a oferta. As pessoas são preguiçosas e impacientes, e é por isso que velocidade e automação sempre vencem quando o assunto são upsells.

Nesse ponto, você provavelmente está se perguntando como fazer todo esse upselling ou downselling, certo?

Você precisa construir um funil de marketing. A boa notícia é que você não precisa contratar um desenvolvedor, você pode usar soluções como o Click Funnels e o Samcart.

Elas são fáceis de usar e você começa em minutos.

Conclusão

Esteja pronto para 2019 ser um ano louco. O que já funcionou, não vai mais funcionar em 2019.

A tecnologia está mais sofisticada e com coisas como machine learning e inteligência artificial batendo à porta, vamos embarcar em uma montanha russa doida.

Mas não tenha medo!

Se você pegar os conceitos acima e começar a trabalhar neles agora, você vai embarcar em uma viagem muito mais tranquila com menos baixos e muito mais altos.

Fonte: https://neilpatel.com/br/blog/mudanca-no-marketing-digital/

Comentários

comentários

Share This