(32) 3061-1694

Você está insatisfeito com os resultados dos cliques orgânicos da sua campanha de Marketing? Será que investir em links patrocinados é a melhor escolha?

O Marketing Digital é um mundo razoavelmente novo, com inúmeros cenários possiveis. Por mais que você construa um planejamento detalhado e analise todas as variáveis, nem tudo acaba se tornando realidade.

Afinal, lidar com a reação das pessoas é sempre um caminho instável.

Mas, não desanime. Se você conhecer seu público e entender qual método pode impactar mais o seu cliente, construir uma campanha de marketing eficiente será mais fácil.

E aumentar as variações de abordagem pode ser uma boa opção.

Links patrocinados podem ser uma ferramenta adjacente à sua estratégia de marketing para aumentar os cliques orgânicos. Hoje, as empresas procuram incentivar os cliques naturais, mas criar um caminho paralelo para aumentar a conversão é sempre bem-vindo, certo?

Quero mostrar neste artigo tudo o que você precisa saber para usar links patrocinados e aumentar a sua taxa de conversão. Além de dar algumas dicas extras que você, com certeza, vai querer descobrir.

Vamos lá?

Boa leitura!

O Que São Links Patrocinados?

Você, com certeza já se deparou com links patrocinados na internet, seja nas redes sociais ou nas suas pesquisas nos buscadores.

Links patrocinados, nos buscadores, são aqueles primeiros resultados que aparecem ao pesquisar sobre determinado assunto e, logo abaixo, são sinalizados como ‘patrocinados’ ou com a palavra ‘anúncio’ ao lado do título.

Em algumas pesquisas eles também podem aparecer na lateral direita do seu monitor, assim como os links patrocinados dentro do Facebook. Já no Instagram eles aparecem na aba do feed.

Por exemplo, se você procurar por aulas de inglês, vai encontrar a seleção abaixo:

Como o Google mesmo identifica, são anúncios pagos que são expostos em determinados lugares. Essa é a forma visual que você já está acostumado a ver. Mas, há algum tempo surgiram os links patrocinados nas redes sociais.

Você já reparou que depois de entrar em determinada loja online ou procurar por algum produto, ao acessar suas redes sociais itens semelhantes aparecem no seu feed?

Pois é! Esses são os links patrocinados das redes sociais. Hoje, as duas redes que mais se utilizam dessa ferramenta de anúncio é o Facebook e o Instagram.

E o valor que cada anunciante desembolsa está ligado diretamente com a escolha da palavra-chave para aquele link patrocinado. Afinal, quanto mais geral é a palavra-chave, mais custoso será financiar esse anúncio.

Você é quem decide qual método usar e qual o valor inicial vai investir.

Porque Usar Links Patrocinados

Existe uma tendência, dentro do marketing digital, em estimular os cliques orgânicos. Ou seja, aqueles cliques que acontecem de uma forma natural. E muitos até desdenham dos links patrocinados!

Eu acredito que qualquer ferramenta, em relação à publicidade, deve ser usada de forma balanceada e responsável. E os links patrocinados podem ser usados para colaborar com os resultados da sua campanha de marketing digital.

É um mecanismo que tem algumas vantagens e um custo beneficio razoável para quem está começando.

Você, como empreendedor, deve decidir o que funciona – ou não – para o seu negócio. E, muitas vezes, ferramentas que são tidas como ultrapassadas ainda podem gerar bons resultados.

Quero pontuar neste tópico algumas vantagens para que você possa decidir se links patrocinados são úteis ou não para a sua marca.

Segmentação: A grande vantagem do Inbound Marketing é poder “escolher” ou selecionar quem visualiza os anúncios e ações publicitárias.

Os links patrocinados funcionam de uma forma que você pode selecionar faixa etária, preferências, localização e até mesmo alguns comportamentos das pessoas para as quais esses links serão entregues.

Dessa forma, é possível filtrar o seu público-alvo, ou seja, quem realmente demonstrou algum interesse em consumir o que você tem a ofertar. Estratégia essa, que não funciona no marketing outbound, como televisão e anúncios impressos.

Simplicidade: A formulação das campanhas de links patrocinados é extremamente simples. É possível que você, mesmo sem um conhecimento aprofundado no assunto, consiga colocar uma campanha nas redes sociais e nos buscadores.

A otimização também é bastante prática. Pequenos acertos podem ser feitos, mesmo durante a vigência da campanha. Então, ao perceber algo que não está caminhando como o esperado, você pode realizar alterações para que sua campanha siga o caminho correto.

Controle: Você é quem decide o quanto vai gastar e pode mudar de estratégia quando quiser. Diferentemente de muitas campanhas de marketing, não existem custos inesperados ou não programados.

Os links patrocinados são fáceis de escalar. É possível começar com uma quantia moderada e, caso a campanha esteja rendendo como esperado, você pode aumentar o investimento.

Baixo Custo: Seguindo a ideia do benefício anterior, você pode começar investindo pouco até conseguir bons resultados. O custo com Marketing pode decair consideravelmente se você souber investir nas campanhas corretas.

Visibilidade: Falei algumas vezes que muitos clientes em potencial não acessam a sua empresa no primeiro momento, mas se a sua marca ficar sempre visível, a curiosidade dele será alimentada até o momento do clique.

Mas, não subestime essa estratégia. O planejamento é fundamental, assim como você faria em outros métodos.

Onde Utilizar os Links Patrocinados

Os links patrocinados geram benefícios para o anunciante, para o público e para os veículos de dispersão.

Por isso, existem tantos meios que possibilitam o uso dessa ferramenta. Mas, quais são eles e qual é o mais indicado para você?

Bom, pense na sua persona.

Qualquer planejamento deve começar pelo seu público-alvo. Entenda onde ele está, quais redes mais acessa e se, de fato, ele utiliza a internet como hobbie ou pesquisa.

E quais são esses meios? Bom, vamos ver um a um.

Google Adwords

A plataforma de anúncios do Google é a mais utilizada dentre as que vou citar nesse artigo. Se o seu público alvo usa a internet, o que é uma probabilidade enorme, ele já fez ou vai fazer buscas no Google.

Os resultados neste buscador são divididos entre orgânicos e pagos. Normalmente, três ou quatro opções de resultados pagos aparecem logo no início da pesquisa, na lateral direita ou em site parceiros, chamados de Rede de Display.

O Google Adwords seleciona os anúncios de acordo com a relevância, tanto do anunciante quanto da palavra-chave.

Ou seja, se o usuário digitar exatamente a palavra-chave que você selecionou (ou alguma similar) e o seu conteúdo corresponder ao ranqueamento do Google, você vai entrar em uma espécie de “leilão” de anunciantes e concorrerá a estas primeiras posições.

Quanto mais geral a palavra, mais disputado será esse leilão e, consequentemente, maior o investimento por clique.

Google AdSense/Youtube Ads

Essa ferramenta do Google permite que os anúncios criados no Google AdWords sejam publicados em blogs, sites e canais no Youtube.

Algumas pessoas confundem as duas, e uma das perguntas que mais ouço é: ‘Qual a diferença entre o Google AdWords e o Google AdSense?’

E, na verdade, elas são ferramentas que se complementam e criam uma rede maior de “parceiros”.

Por exemplo, você cria uma campanha de links patrocinados no Google Adwords e efetua o pagamento. O Google repassa parte do valor para que esses anúncios apareçam em sites como o Youtube, por exemplo.

Redes Sociais

Antigamente, os usuários das redes sociais eram jovens e, naturalmente, só as empresas que tinham esse público-alvo são as que investem nesse tipo de divulgação. Hoje, as redes sociais tomaram conta de todas as faixas etárias.

E, dificilmente você vai encontrar algum celular que não tenha aplicativos como o Facebook, Instagram, Youtube, Linkedin, Twitter – ou todos eles. O Brasil é o país com maior número de usuários das redes sociais. O Facebook e o Youtube são os recordistas de interações.

Mas é claro que alguns públicos utilizam essas ferramentas mais ativamente que outros. Os jovens ainda são o público que mais acessa e interage nas redes.

Então, procure estudar o comportamento do seu público-alvo para entender em qual rede social o seu anúncio será mais efetivo.

Vamos às opções mais utilizadas pelas empresas atualmente.

Facebook Ads

Você pode criar uma campanha de links patrocinados no Facebook em poucos passos.

Primeiro, escolha o objetivo dessa campanha – pode ser aumento de vendas, downloads ou da visibilidade da sua marca.

O segundo passo é selecionar o público que você deseja que tenha acesso a esses anúncios. Você pode selecionar a faixa etária, idioma, localização e interesses.

O próximo passo é selecionar em quais meios esse anúncio será exposto: Facebook, Instagram ou aplicativos e sites da Audience Network. Pronto! Agora, é só escolher o orçamento e o formato do anúncio.

Depois de enviado, a sua campanha participará de um leilão, assim como acontece com o Google Adwords, e começará a ser veiculada para as pessoas selecionadas como seu público-alvo.

LinkedIn Ads

LinkedIn é a maior rede social profissional do mundo. Muitos empreendedores acabam focando todas as energias no Google e Facebook e acabam deixando passar uma rede bastante relevante com esta.

No LinkedIn, além de você ter a possibilidade de inserir os links patrocinados com filtros de faixa etária, localização e região, ainda pode selecionar o público pelo nome da empresa que ele está inserido, setor ou cargo.

O LinkedIn opera com o CPC (custo por clique). É o investimento mais “caro”, mas se você formular uma campanha assertiva, montar sua persona e estudar seu público-alvo, o retorno é certeiro!

Afinal, a segmentação que os links patrocinados podem lhe fornecer é otimizada porque o LinkedIn consegue filtrar e segmentar ainda mais, fornecendo aos anunciantes um público específico e que está ali com um objetivo muito bem definido.

Se a sua empresa faz parte do modelo B2B (empresa para empresa), o LinkedIn é um ótimo investimento.

Como Funcionam os Links Patrocinados

Em resumo, os links patrocinados funcionam como anúncios impressos em um jornal ou propagandas na programação de um canal de televisão. Mas, ao invés de serem selecionados por ordem alfabética, como nos jornais, eles participam de um leilão.

Este leilão leva em consideração tanto o valor pago, quanto a qualidade do site e do conteúdo. Ou seja, não basta só pagar mais, você ainda precisa continuar investindo no marketing de conteúdo para ganhar esta disputa.

A cobrança é feita conforme a palavra-chave selecionada. Se ela for muito concorrida, os valores são maiores – o que acontece, constantemente, com palavras mais gerais, como: amor, marketing, bola etc..

Afinal, Quanto Custa Para Anunciar no Google

Mas, você já deve estar ansioso para saber quanto custa, de fato, investir em links patrocinados dentro do Google.

O investimento depende de uma série de fatores, mas o principal é: você escolhe quanto custa para anunciar. É você quem decide por quanto tempo o anúncio vai ficar no ar, onde ele vai ser anunciado, pra quem e como será feita a cobrança.

Logo ao escolher sua campanha, você deve selecionar as palavras-chave que estejam relacionadas à sua marca ou ao conteúdo do anúncio. Essa é a parte fundamental dos links patrocinados, principalmente dentro do Google AdWords.

Elas são as peças-chave, tanto para a eficiência dos resultados, quanto para a determinação do valor pago pelo anunciante. Como mencionei anteriormente, palavras mais disputadas e mais gerais costumam ter custo maior por clique.

Assim que você selecionar as palavras-chave aparecerá na tela o valor por clique e você pode escolher qual o capital que você quer deixar para uso.

E é importante salientar que o valor só será descontado deste montante quando o internauta realizar a ação predefinida por você ao montar a campanha.

Principais Termos Que Você Deve Ter Conhecimento

As formas de pagamento são, basicamente, relacionadas aos cliques ou visualizações. E existem alguns termos – tanto em relação ao custo quanto para entendimento das campanhas – com os quais é essencial que você esteja familiarizado.

Mesmo que você tenha decidido terceirizar a análise dos links patrocinados, é interessante saber alguns termos que serão largamente utilizados na formulação da sua campanha de links patrocinados.

Quero falar sobre os essenciais. Mas não se esqueça, caso tenha dúvida sobre algum termo não abordado, deixe nos comentários.

CPC

É a sigla para “custo por clique”, ou seja, o anunciante pagará pelos cliques que aquele link receber.

Dentro dessa forma de pagamento existem dois termos básicos: o CPC máximo e o CPC real. Como o valor é cobrado por clique, o anunciante deve escolher qual o valor ou lance máximo que ele está disposto a pagar por aquele clique, esse é o CPC máximo.

Como se trata de um lance, muitas vezes o valor pago pode ser inferior ao que você selecionou, depende da competição do termo escolhido. O valor jamais vai ultrapassar, como o próprio termo diz (máximo).

Essa escolha é feita manualmente por você – ou pelo Google. A segunda opção, automática, fornecerá um CPC otimizado que o Google vai calcular a fim de maximizar o número de cliques nos links patrocinados da sua campanha.

Se por acaso você vir o termo PPC ao invés de CPC, não se assuste! Eles significam a mesma coisa. Em inglês, CPC é ‘cost per click’ e PPC significa ‘pay per click’.

CTR

Em inglês, CTR significa ‘clicks through rate’. Ao pé da letra, cliques através de taxas. Na prática, é o número de cliques recebidos pelo número de visualizações.

Diferente de CPC, o CTR não é uma forma de pagamento. Ele na verdade, é uma métrica que você pode utilizar para avaliar se a sua campanha está se mostrando eficiente.

Se o CTR estiver baixo, é bom reavaliar os elementos do seu anúncio, como público-alvo e palavras-chave. Já um CTR alto indica que você criou uma campanha de valor, cativou os espectadores certos e, possivelmente, gerou conversão para o link anunciado.

CTR = nº de cliques recebidos/nº de exibições (impressões).

O Google fornece, na conta do anunciante, o CTR dos anúncios e das suas palavras-chave. E através dele, você deve se nortear para realizar ajustes ou aumentar a duração ou amplitude das campanhas de links patrocinados.

CPM

Custo por mil visualizações – o anunciante paga para cada conjunto de mil visualizações. Ou seja, o anunciante fornece um valor máximo que ele está disposto a pagar pelo conjunto de mil impressões.

Essa ferramenta, normalmente, é utilizada para divulgar o nome da marca ou construir uma pesquisa de mercado. Se a sua meta for converter, eu aconselho que invista mais no CPC ou CPA.

Conversão

Se você é empreendedor, eu tenho certeza que esse é um dos termos com o qual a sua equipe mais se preocupa.

E não é à toa, a conversão significa que o usuário interagiu de alguma forma com o seu anúncio, e esse é um passo fundamental para abrir a comunicação com aquele cliente em potencial.

Nos links patrocinados, chamamos de conversão o fato de o usuário acessar o anúncio – seja em texto ou vídeo – e seguir o caminho que você sugeriu.

Ou seja, quando ele preenche o formulário com seus dados (torna-se um lead), entra em contato com a sua empresa ou efetua aquela compra online, o seu link patrocinado angariou uma conversão.

A taxa de conversão é calculada pela divisão do número de conversão pelo total de cliques naquele anúncio. Por exemplo, se o número total de cliques for 100 e você teve 30 conversões, a sua taxa é de 30%, ou 0,3.

Esse dado deve ser acompanhado frequentemente. Assim como o CTR, a taxa de conversão norteia tanto a campanha de marketing atual, quanto o planejamento das próximas.

Tipos de Anúncios no Google

Bom, você percebeu que existem algumas plataformas para inserir os seus links patrocinados, e algumas delas englobam outras.

Por exemplo, ao selecionar o Facebook ADS você pode tanto divulgar no Facebook quanto no Instagram. Se a escolha for o Google, você pode ficar disponível tanto nos resultados das buscas quanto nos anúncios do Youtube.

Mas quero focar a continuidade deste artigo no Google Ads, afinal, ele é o mecanismo que mais gera resultados e, consequentemente, é o mais utilizado pelas empresas.

Anunciar no Google Search (Rede de Pesquisa)

Inserir o seu link patrocinado do Search (Rede de Pesquisas) é a escolha que a maioria das empresas prefere fazer. Afinal, você se utiliza de um público forte já existente e pode capturar um cliente em potencial que já está pronto para receber aquela oferta.

Ao pesquisar por curso de ingês, o usuário já foi convencido, previamente, de que aprender inglês é interessante e ele já está propenso a começar um curso.

Se você tem um curso de inglês e faz esse anúncio no Google Search, as chances de conversão aumentam consideravelmente.

Para otimizar a sua campanha, eu sugiro que o seu link patrocinado dentro do Google Search encaminhe o leitor direto para uma landing page ou para o setor específico da palavra-chave.

Voltando ao exemplo do curso de inglês, ao invés de encaminhar o usuário para a home do seu site, onde provavelmente aparecerão outros serviços, insira o link que o leve direto à aba de cursos de inglês.

Não se esqueça que, apesar do link patrocinado ser pago, o leilão não seleciona apenas por valor, mas também leva em consideração o valor do seu conteúdo. Não corra o risco do leitor sair antes de encontrar o que de fato está procurando.

Anunciar no Google Display (Rede de Conteúdo)

O Google Display coloca sua campanha de links patrocinados dentro de sites parceiros. Naturalmente, você vai somar o público de cada blog ou site acessado, o que é bastante interessante para ganhar visibilidade e solidificar sua marca.

Você já deve ter reparado que em alguns sites existem quadros de texto, gráficos ou vídeos distribuídos no texto com a legenda anúncio. Esses são os links patrocinados no Google Display.

Mas, diferente do Google Search, aqui o seu cliente em potencial ainda não está em uma etapa avançada no funil de vendas. Por isso, evite querer vender logo de inicio, ele talvez não esteja preparado para receber essa oferta e você pode perder a chance de fazer um contato inicial.

Procure, nesse veículo, mostrar o valor do seu conteúdo. O marketing de conteúdo na Rede Display é fundamental para a eficiência da sua campanha de links patrocinados.

Como Gerenciar Seus Links Patrocinados em 6 Passos

Bom, depois de entendermos o conceito e o desenvolvimento dos links patrocinados, preciso explicar a parte mais importante: o gerenciamento dos seus anúncios. Você deve estar curioso para saber como começar a investir nessa ferramenta.

Adianto uma coisa: planejamento e estratégia devem ser os pilares para que o gerenciamento dos seus links patrocinados ocorra da melhor forma possível.

Vamos lá?

Passo 1: Definição das Melhores Estratégias Planejamento de Ações

O primeiro passo – e o que você deve investir tempo e toda a ajuda da sua equipe – é o planejamento. Os links patrocinados podem ser, aparentemente, muito práticos e até mesmo intuitivos. Não cometa esse erro!

Por mais que a internet reflita muitos comportamentos reais do seu público-alvo, ela pode funcionar de uma maneira extremamente diferente da forma offline. Estude como o seu público-alvo interage na internet, quais veículos eles mais usam.

A minha dica mais importante é: crie uma persona. Conheça a pessoa para quem o seu link patrocinado será mais útil. Entenda que, diferente dos anúncios de televisão, nós não queremos atingir um público indefinido.

Para que sua estratégia seja eficiente, você deve fazer uma pesquisa de mercado!

E lembre-se, nem sempre o que a maioria das empresas faz é o melhor para o seu negócio. Pesquise onde os seus concorrentes estão anunciando e como você pode se planejar para disputar as melhores posições.

As principais plataformas para inserir seus links patrocinados são:

  • Facebook Ads – que engloba o Facebook e o Instagram.
  • Google AdWords – Search ou no Display, blogs, sites, Youtube e o buscador.
  • Twitter.
  • LinkedIn Ads.
  • Snapchat.

Saiba por quais canais o seu anúncio vai chegar corretamente no seu cliente em potencial. E fique de olho no desenvolvimento desses canais. Por exemplo, o Snapchat teve seu auge em 2016, mas sofreu uma queda de audiência considerável em 2017.

Não deixe de aproveitar as oportunidades e fique de olho nas ameaças.

Passo 2: Como Criar Uma Campanha de Links Patrocinados

Depois de realizar o planejamento e elencar quais mídias são mais interessantes dentro da sua estratégia de marketing digital, chegou a hora de criar o seu anúncio. Vamos falar neste artigo sobre o Google Adwords.

Mas, grande parte das dicas servem para o restante das mídias, certo?

Crie Uma Conta no Google Adwords

O primeiro passo é criar uma conta no Adwords. Caso você já tenha uma, é só logar com seu usuário e senha.

Se você ainda não criou, fique tranquilo! É extremamente simples. Entre na página do

Google Adwords.

Insira o email e endereço empresarial solicitados acima. Lembre-se que você está criando uma conta para a sua empresa, então, é interessante que o email utilizado seja o de trabalho e que ele faça link com seu blog, site etc.

Clique em ‘continuar’ e faça o seu login com o Gmail. Caso não tenha, ou queira cadastrar com outro email, basta criar uma conta.

O Google vai perguntar se você prefere o Adwords ou o Adwords Express. Para saber mais sobre cada um, acesse o comparativo feito pelo próprio canal.

Configurações Iniciais da Campanha

Depois de criar sua conta no Google Adwords, você já pode configurar a sua primeira campanha de links patrocinados.

Selecione o orçamento diário. Caso você queira usar o mensal, pegue o valor total disponível no mês e divida por 30,4 (média de dias por mês).

A seguir, escolha seu público-alvo segundo a localização, escolha os meios de divulgação etc.

Depois, basta selecionar as palavras-chave e seu lance inicial.

Passo 3: Escolha das Palavras-Chave

O tópico das palavras-chave é um dos mais importantes na criação de uma campanha eficiente. Quero, portanto, tratá-lo em separado. Entenda que essa escolha pode ter influência direta no sucesso da sua estratégia de links patrocinados. Não a subestime.

Como mencionei anteriormente, palavras que são mais buscadas costumam apresentar um lance por clique mais alto.

Portanto, selecione as palavras que tenham ligação direta com o seu conteúdo. Não tente ser muito abrangente, você vai investir muito e com grandes chances de perder o leilão dos primeiros resultados buscados.

Este não é o momento de “atirar para todos os lados”. Foque no conteúdo e no público-alvo, e seja o mais específico possível.

Correspondências de palavras-chave

Ao escolher uma determinada palavra-chave, o Google costuma englobar nos resultados outras correspondentes, como sinônimos, plurais, erros gramaticais e algumas palavras complementares.

Você pode acreditar que isso é muito bom para sua campanha, afinal, aumenta o seu poder de alcance.

Mas, imagine que a sua empresa revende tênis de corrida, em Bauru, interior do estado de São Paulo. E você decide colocar ‘tênis de corrida’ como palavra-chave.

É uma escolha bastante abrangente, e você pode aparecer como sugestão para pessoas de Ribeirão Preto, por exemplo. Se você não faz o envio de produtos, provavelmente este clique é um gasto que não vai gerar retorno para a sua empresa.

Para não ter prejuízo com a correspondência da palavra-chave, procure selecionar apenas plurais, erros gramaticais e variantes próximas. Basta clicar nessa opção na hora de selecionar a palavra-chave.

Correspondência ampla

O Google entende como correspondência ampla uma palavra-chave que não apresente nenhum caractere anterior ou posterior, como aspas, colchetes, adição ou subtração.

No exemplo acima, tênis de corrida vai gerar uma correspondência ampla para o Google e o seu resultado vai aparecer para buscas, como:

  • Tênis de corrida.
  • Preciso comprar um tênis de corrida?
  • Tênis de corrida e de academia são a mesma coisa?
  • E muitas outras.

Correspondência ampla modificada

Para que o Google faça uma correspondência ampla modificada, você deve por a palavra-chave no seguinte formato: “+tenis +corrida”.

Mas o que isso significa?

Ela é um meio termo entre a correspondência ampla e a mais restrita. Você tem um alcance maior, mas sem perder o controle.

Ao adicionar o sinal de adição antes das palavras-chave, o seu usuário vai poder localizar o seu post se ele digitar singular ou plural, com erros de ortografia, abreviações e variações com o radical comum (caixas e caixinhas).

Todas essas variações serão aceitas, mas se, no caso do tênis de corrida, ele digitar sandália de corrida ou tênis de escalada, você não aparecerá como possível resultado.

Correspondência de frase

Para que o Google entenda como correspondência de frase, você deve inserir a palavra-chave entre aspas. E você vai fixar a ordem em que essas palavras da frase devem aparecer.

Por exemplo, o seu resultado não vai aparecer caso você coloque “ tênis de corrida” e o usuário digitar corrida de tênis.

Os plurais, variações próximas e erros ainda serão mantidos, assim como palavras a mais que fiquem antes ou depois da palavra-chave, como: comprar tênis de corridaou tênis de corrida onde achar.

Correspondência exata

Para evitar palavras antes e depois da sua palavra-chave, coloque-a entre colchetes. Por exemplo, [tênis de corrida].

O Google só selecionará seu link caso a busca seja feita exatamente como você designou, e com variações de plural, correção ortográfica e pequenas variações, se você selecionar essa opção.

Passo 4: Otimização dos Anúncios no Google Adwords

Neste tópico, quero dar dicas imperdíveis de como você pode otimizar seus resultados.

A plataforma do Google Adwords é bastante intuitiva, o que facilita a criação de anúncios – até mesmo por quem não tem conhecimento avançado no assunto. Mas, saber como maximizar o retorno que você vai ter com eles pode ser uma carta na manga importantíssima.

Coloque um CPC mais alto nos horários de menor concorrência

Todo profissional de marketing digital procura analisar os melhores horários para fazer postagens, e isso definitivamente traz resultados.

Mas, se tratando de campanhas que precisem que você concorra a uma vaga através de um leilão, usar uma tática reversa pode fazer com que você economize uma quantia considerável.

Aproveitar períodos que são menos concorridos pode aumentar suas chances de aparecer nas primeiras colocações dos anúncios, com um investimento menor.

Para analisar quais são os horários de menor concorrência, acesse o relatório dimensões dentro do Google Adwords. Vá em melhores períodos e analise quais os horários com maior e menor número de acesso. Escolha investir mais naqueles com menor concorrência.

Mas, lembre-se que toda dica que você ler neste artigo deve ser testada. Fique atento aos resultados e faça os ajustes necessários.

Nunca aumente o orçamento diário de uma só vez

É natural que, ao verificar resultados, você queira dobrar o investimento, com o objetivo de dobrar os ganhos. Mas, cuidado! O Google é uma ferramenta extremamente inteligente e ele funciona, muitas vezes, como um ótimo comerciante.

Se você aumentar drasticamente os investimentos de um dia para o outro, ele pode entender que você tem muito a investir e vai consumir essa reserva mais rápido do que o habitual. E os resultados não aumentarão na mesma proporção.

Negocie com ele, de uma forma não literal, claro. Aumente aos poucos, e deixe subentendido que o seu orçamento é limitado e finito.

Dessa forma, você não vai se arriscar mais do que deve e vai sinalizar ao Google que você tem o controle do que está fazendo.

Fique de olho no item Taxa de Conversão Estimada

Se eu pudesse dar uma única dica, seria: fique de olho nas taxas. Existem algumas palavras que possuem uma alta procura, mas baixa conversão.

Habilite a coluna taxa de conversão total estimada para saber quais palavras, de fato, geram um maior número de conversões.

Ao verificar palavras relacionadas que trazem os resultados esperados, procure desabilitá-las ou negativá-las, para que a sua média de ganhos não diminua.

Otimizando o CTA

O CTA, dentro dos links patrocinados, é a chamada para que o usuário clique no seu anúncio. E você deve se atentar para tornar essa frase o mais atrativa possível, afinal a taxa de conversão depende, e muito, do call to action.

Montei uma lista resumida dos principais itens que podem tornar o seu CTA irresistível:

  • Faça perguntas.
  • Ofereça algo de valor.
  • Seja claro e direto.
  • Desperte algum sentimento.
  • Seja criativo.
  • Não prometa nada que você não possa cumprir.

Bom, se você conseguir seguir algumas dessas dicas eu tenho certeza que vai conseguir construir um CTA matador.

Nunca Pause Uma Campanha

Apesar do Google Adwords ter a opção de pausar campanha, eu sugiro que você evite fazer isso. Por experiência própria, eu afirmo que se você pausar e depois resolver retomar a sua campanha ela não será mais a mesma.

O Google não explica por qual razão isso acontece, mas na prática é isso que ocorre.

Então, evite! Espere o prazo final e faça as alterações necessárias na próxima campanha de links patrocinados.

Passo 5: Como Fazer a Análise dos Resultados

O Google Adwords é um mundo repleto de métricas e análises que, se você souber usar da forma correta, pode garantir a eficiência das suas campanhas. Mas saiba que a análise dos resultados deve ser feita conforme o objetivo de cada campanha.

Se você criou a campanha para que as pessoas conheçam sua marca será mais interessante analisar a taxa de visualizações e não a de conversão, correto?

Então, leve em consideração o objetivo que você traçou para cada anúncio.

As principais métricas que você deve acompanhar de perto são:

  • CTR – a taxa de conversão é uma das métricas mais relevantes em campanhas com foco em vendas. Se o seu CTR estiver alto é um sinal de que sua campanha está vencendo a corrida pelas melhores colocações. Mas fique de olho se ele estiver abaixo do esperado.
  • Taxa de impressões – é a taxa que mensura quantas vezes o seu link apareceu para os usuários, comparando-se o número de vezes em que aquela palavra-chave foi buscada. Se a sua taxa for muito baixa ou o seu orçamento está baixo ou o conteúdo que você está ofertando não tem a qualidade necessária. Esse é um bom parâmetro também para saber se você selecionou as melhores palavras-chave.
  • Índice de qualidade – esse é um dos parâmetros mais importantes dentro do Google Adwords, afinal ele leva em consideração sua CTR, CPC, relevância da palavra-chave e da página de destino. Um bom indice de qualidade fará com que seu CTR seja alto, o CPC baixo e, com certeza, mais visualizações para o seu site. Procure manter esse índice o mais alto possível. Ter qualidade no conteúdo ofertado é o fator que mais contribui para isso.

Você vai perceber que a maior parte das métricas está relacionada diretamente em fazer com que seu cliente em potencial tenha uma boa experiencia com seu anúncio. Tanto ao efetuar a busca quanto ao acessar o seu link.

Procure investir o seu tempo na análise dos resultados, principalmente em campanhas novas, faça isso pelo menos uma vez ao dia. Anote os resultados e leve-os em consideração nas campanhas futuras.

Passo 6: Ferramentas Para Auxiliar nas Campanhas

Se você é iniciante no universo dos links patrocinados, talvez tenha ficado um pouco inseguro em relação às escolhas mais importantes, como as das palavras-chave, correto?

Acredite, isso é bastante natural, até mesmo para quem já é experiente no assunto. E realmente é uma etapa que deve ser formulada com muito cuidado. Afinal, ela é um dos fatores que mais pesam para o sucesso da sua campanha.

Existem, hoje, algumas ferramentas que podem lhe ajudar a fazer as escolhas corretas.

Keyword Planner

Uma das ferramentas para ajudar você na seleção de palavras-chave é o Keyword Planner. É uma das mais relevantes e mais usadas para essa finalidade. Ele é um planejador do próprio Google, e fornece as palavras-chave que podem otimizar suas campanhas dentro do ADS.

É uma ferramenta gratuita e as principais funções são informar sobre:

  • Novas palavras-chave.
  • Palavras-chave alternativas.
  • Volume de busca de cada palavra.
  • Concorrência.
  • Custo médio do CPC.

E tudo isso em tempo real!

Essa é uma ferramenta valiosa para quem está inseguro ou com pouca criatividade. Mas tome cuidado, principalmente em se tratando de palavras-chave de cauda longa.

Porque, por mais que o Google seja uma das ferramentas mais inteligentes ele também tem suas limitações, e algumas palavras-chave, que sejam de três ou quatro termos, podem confundir o Keyword Planner.

UbberSugest

Essa ferramenta é uma das mais interessantes para a escolha da palavra-chave. Além de fornecer opções baseadas nas buscas do Google, o UbberSugest também considera outros buscadores.

Ela é bastante simples mas dispõe de uma infinidade de sugestões categorizadas. Inclusive de cauda longa.

O mais fascinante é que ela procura fornecer ideias pouco exploradas, o que é extremamente vantajoso para encontrar setores com uma concorrência menor.

SEMrush

SEMRUSH é um pouco mais completo do que as ferramentas acima. Por isso, costuma ser uma das mais usadas por profissionais de marketing.

As pesquisas são mais profundas, e, além de sugestões de palavras-chave, ele fornece dados dos anúncios e sites melhores ranqueados nos buscadores.

A seleção de sugestões também leva em consideração a taxa de conversão e tráfego.

E uma das funcionalidades mais interessantes é que ele consegue observar seus concorrentes. Fornece, com isso, o valor do investimento, quais as palavras-chave que mais convertem e quais foram compradas.

Ou seja, é uma ferramenta que se preocupa com os buscadores, com o público-alvo e com seus concorrentes. Agora dá para entender porque ela é tão querida pelos profissionais da área, certo?

Se você ficou com dúvida em relação as ferramentas citadas, por favor, deixe nos comentários!

Exemplos de Campanhas de Links Patrocinados

Neste tópico quero mostrar algumas ilustrações de campanhas para que você visualize como os links patrocinados aparecem para os seus usuários.

Faça um teste nas suas redes sociais, procure no seu buscador sobre algum produto, pode ser qualquer um.

Depois de realizar a busca e entrar em um ou dois resultados acesse o seu Instagram ou Facebook, esses itens vão aparecer em formato de anúncio na barra lateral ou no seu feed, como se as redes conseguissem ler o seu pensamento.

Parece incrível que algo que você esteja precisando apareça como mágica em todos os lugares que você acessa na internet, não é mesmo? Pois bem, essa é a função dos links patrocinados. Veja alguns exemplos:

Benefícios dos Links Patrocinados Para a Sua Estratégia

Bom, se você ainda tem dúvidas de que links patrocinados podem validar a sua campanha de marketing digital, eu tenho mais alguns benefícios para mostrar, com certeza, você vai se convencer.

Mas lembre-se, os links patrocinados devem ser uma ferramenta para caminhar ao lado da sua estratégia de SEO, e não sozinha, ok?

Retorno Rápido

Se você já está trabalhando com o marketing digital por algum tempo, deve ter notado que gerar tráfego orgânico não é algo muito simples, e muito menos rápido. Os links patrocinados possuem resultados e retornos mais rápidos.

Mas, também funcionam a curto prazo. Se você conciliar as duas estratégias, o seu negócio pode gerar retorno logo no inicio, e ele se manterá no longo prazo com estratégias de SEO e de marketing de conteúdo.

Aumento nas Conversões

Campanhas bem construídas, captam o usuário que já está pronto para adquirir aquele conteúdo. Ou seja, se você fizer o planejamento adequado e formular campanhas atrativas as chances de conversão são realmente grandes.

Diminui os Custos de Marketing

Comentei anteriormente que os custos com links patrocinados são, geralmente, menores do que aqueles gastos com campanhas de marketing. Isso associado ao fator de aumento de conversões pode minimizar consideravelmente seus gastos com Marketing.

Fortalece a Marca

Costumo falar sempre, para os empresários que buscam minha ajuda, que ser lembrado pelos clientes é uma arma muito poderosa. Afinal, nem todas as pessoas adquirem coisas por impulso, normalmente elas precisam ser convencidas daquilo.

Se a sua marca aparecer constantemente nas plataformas que o usuário tem acesso, as chances de você conseguir despertar a curiosidade dele e fazer com que acesse o seu link são maiores.

Vantagens de Contratar Uma Agência Para Gestão de Links Patrocinados

Bom, a essa altura você deve ter reparado que, apesar de ser intuitiva, a eficiência da sua campanha de links patrocinados deve ser formulada com muito profissionalismo. E que ela não acaba no momento em que você clica em gerar anúncios.

Na verdade, a parte principal ocorre depois disso. E hoje existem muitas empresas que fazem a gestão dos links patrocinados. Como eu fiz questão de salientar, construir para uma campanha e não fazer a análise de resultados é como fazer uma prova e não saber a nota.

Muitos empreendedores não se sentem capacitados para realizar essa etapa, o que é bastante compreensível, afinal experiência pode ser um fator muito relevante.

Contratar uma empresa especializada para fazer esse gerenciamento é uma ótima estratégia, mas atente-se para a seriedade da empresa e ela deve ser certificada pelo Google (acesse o Google Partner para encontrar as empresas cadastradas).

Listei alguns dos benefícios principais:

  • Experiência e autoridade no assunto.
  • Otimização do tempo.
  • Terceirização de uma das atividades mais trabalhosas.
  • Visão estratégica do assunto.
  • Atualização constante de novas ferramentas e técnicas.

Conclusão

Pronto para criar uma campanha arrasadora de links patrocinados?

Eu tenho certeza que sim!

Neste artigo você aprendeu sobre o conceito, os benefícios, cuidados e sobre as principais ferramentas para construir campanhas que, de fato, gerem conversão.

E não se esqueça que a minha dica é que você insira os links patrocinados dentro de uma campanha de marketing que você já tem. Não utilize essa ferramenta como única estratégia de marketing digital.

Se você focar todas as energias nos anúncios e se esquecer do marketing de conteúdo você não só vai criar campanhas ineficientes, como perderá também a oportunidade de ganhar consistência e fortalecer a sua marca a longo prazo.

Os buscadores estão cada vez mais inteligentes, e descuidar do valor do conteúdo ofertado vai gerar consequências extremamente negativas para a sua marca.

Os pilares base para formulação de uma campanha de links patrocinados excepcional são: pensar no público-alvo, criar palavras-chave assertivas e fazer uma análise adequada dos resultados.

E se você achar que não tem conhecimento suficiente para alguma dessas etapas procure ferramentas, como KeywordPlanner, UbberSugest, SEMrush e empresas especializadas no assunto.

Garanto que seguindo esse manual você vai ter uma experiência bastante positiva com os links patrocinados.

Fique atento aos meus conteúdos para saber mais sobre o assunto!

Fonte: https://neilpatel.com/br/blog/links-patrocinados/

Comentários

comentários

Share This