(32) 3061-1694

neil video
É o que todo mundo anda dizendo… Vídeo é o futuro do marketing de conteúdo!

Mas será que é mesmo?

Como vocês, eu percebi essa tendência há mais de um ano, e resolvi ouvir as pessoas que me diziam para focar em vídeo em vez de só em conteúdo escrito.

Eu inclusive escrevi um post sobre como eu estava mudando meus orçamentos de marketing de conteúdo para podcasts e vídeos.

Mas, como vocês sabem, opiniões não importam muito no marketing. Se os dados mostram que uma coisa funciona, você deve continuar fazendo. E, se os dados mostram o contrário, você precisa repensá-la.

Então será que o YouTube realmente valeu a pena para mim?

Neil, você usa o YouTube?

Se você ainda não viu meus vídeos do YouTube, você pode dar uma olhada aqui (são os mesmos vídeos que eu coloco no meu blog).

E se você já viu meus vídeos, você vai perceber que eu tenho um monte deles. Eu comecei a postar no YouTube há um pouco mais de um ano e até agora já postei mais de 347 videos.

É bastante conteúdo!

A duração dos vídeos varia. Eu tenho desde vídeos de 2 minutos e outros de mais de 30 minutos.

Os assuntos do conteúdo em vídeo também variam, desde explicação de estratégias até táticas para responder suas perguntas, passando por alguns pedacinhos da minha vida.

Eu compartilhei inclusive algumas das minhas palestras no YouTube também.

Então, o YouTube vale a pena? Bom, antes de entrar nesse assunto, vou compartilhar alguns dos meus números.

Meu canal do YouTube

Desde a concepção, meu canal do YouTube gerou 7.627.060 visualizações.

total views

Eu sei que a captura de tela acima mostra que eu estou no YouTube desde 18 agosto de 2011, mas eu subi meu primeiro vídeo de verdade em 11 de maio de 2017… E era sobre como gerar mais tráfego para o Twitter.

twitter traffic

Antes dessa época, eu tinha subido outros dois vídeos, mas para fins de publicidade. Eu usava esses vídeos para conseguir inscrições para um webinário (o que não deu tão certo quanto eu esperava).

Apesar do meu total de visualizações no YouTube ser de 7,6 milhões, minhas visualizações orgânicas mensais ficam entre 600.000 e 700.000.

Ao longo dos últimos 30 dias, eu gerei 724.464 visualizações, que resultaram em 2.003.272 minutos assistidos.

viewcount

Para você ter uma ideia, demoraria aproximadamente 3,8 anos para assistir mais de 2 milhões de minutos de vídeo. E isso contando que se está assistindo 24 horas por dia, sem parar.

É muito tempo assistindo!

E aqui tem uma visão geral de como eu gerei essas visualizações.

stats breakdown

Como você pode ver, a maioria das minhas visualizações do YouTube vêm da “busca”.

Isso quer dizer que as pessoas estão buscando no YouTube. Em seguida, os vídeos sugeridos e a navegação geram grande parte das visualizações. E tem também o externo, que são as visualizações que eu gero a partir do NeilPatel.com.

É meio louco como eu gero 101.683 visualizações por mês só do meu próprio site.

Se você cria vídeos engraçados, vídeos de notícias, de estilo de vida ou estilo documentário, como o Gary V., a maior parte do seu tráfego do YouTube vem dos vídeos sugeridos e da navegação, em que os vídeos vão ser recomendados na barra lateral do YouTube.

Por outro lado, se a maior parte do seu conteúdo é educativo, como o meu, a maior parte do seu tráfego vai vir da busca do YouTube.

Como é a busca do YouTube?

Independente do tipo de vídeo que você cria, você sempre pode gerar tráfego da sua busca do YouTube, da mesma maneira que eu.

A quantidade de tráfego varia de acordo com o tipo de vídeo que você cria… Vídeos educativos tendem a gerar mais tráfego a partir da busca do YouTube.

Vamos dar uma olhada no meu tráfego de busca:

search traffic

Como você pode ver, eu ranqueio para termos como SEO, marketing digital, social media marketing, etc.

Mas o segundo termo mais popular para o qual eu gero tráfego é o meu nome, Neil Patel.

E não, não é porque eu construí uma marca no mundo do marketing. É porque eu tenho tantos vídeos no YouTube que eu organicamente comecei a construir uma marca no YouTube.

neil patel youtube

Como você pode ver, eu gerei apenas 91 visualizações de pessoas que buscaram meu nome em maio de 2017 (que foi quando eu subi meu primeiro vídeo).

E agora eu consigo gerar por volta de 5.500-6.000 visualizações mensais só a partir desse único termo de busca.

A única coisa que eu fiz para aumentar minhas pesquisas de marca foi subir mais conteúdo do que eu achava que meu público-alvo queria assistir.

De uma maneira geral, o tráfego de busca do YouTube é um tráfego qualificado, e é muito mais fácil ranquear e gerar essas visualizações do que com a busca tradicional do Google. E o melhor de tudo é que você pode ranquear em uma boa posição no YouTube em apenas alguns dias… Até algumas horas!

Você ouviu certo, você pode ranquear em uma boa posição no YouTube em apenas alguns dias.

Se você tem um perfil novo e está começando a subir vídeos agora, talvez você não ranqueie tão alto quanto você gostaria logo de primeira, mas você deve obter resultados rápidos, e, com o tempo (semanas ou meses, não anos), você pode chegar ao topo com facilidade.

Lembre-se, o YouTube não é concorrido como o Google e o algoritmo deles é diferente. Se você quer maximizar seu tráfego, é só seguir esses 26 passos.

Parece muito, mas não é. A maioria deles são curtos e fáceis de se implementar.

Seguindo ou não esses 26 passos, não deixe de seguir pelo menos os 6 princípios abaixo, que são os que geram maior impacto:

  • Faça o maior esforço nas primeiras 24 horas – Diferente do SEO tradicional, vídeos com boa performance nas primeiras 24 horas tendem a continuar indo bem. Se você tem uma lista de emails ou uma lista de notificações push, notifique os inscritos sobre seu vídeo do YouTube assim que ele for publicado. Se o YouTube vir que seu vídeo está indo bem desde o início, eles vão exibi-lo para mais gente e ranqueá-lo mais alto.
  • Faça o upload de transcrições – Embora o YouTube consiga decifrar em parte do que trata seu vídeo, eles não confiam nisso. Eles querem que você suba manualmente a transcrição de cada vídeo. Isso vai ajudá-los a determinar do que trata seu vídeo e ranquear você para os termos certos. Se você tiver muita preguiça de transcrever seus vídeos manualmente, use o Rev. Custa apenas um dólar por minuto.
  • Se envolva com o seu público – O YouTube é uma rede social. O conteúdo que recebe mais engajamento é o que tem a melhor performance. A coisa óbvia a se fazer é pedir para as pessoas comentarem, curtirem seus vídeos e se inscreverem no seu canal. Mas o que funciona melhor é responder a comentários. Você vai perceber que eu respondo a todos os comentários nos meus vídeos (ou pelo menos tento).
  • Foque na taxa de cliques – Como na busca do Google, o YouTube presta atenção na taxa de cliques. Desde usar miniaturas de vídeo que se destaquem até criar títulos cativantes, você quer que as pessoas cliquem nos seus vídeos em vez dos outros. Se você quer uma miniatura legal, use o Canva.
  • Use as palavras-chave certas – Como o Google, se você segmentar as palavras-chave erradas, você não vai atrair muita gente. Você pode usar o VidIQ, ou, se quiser uma solução gratuita, você pode usar o Ubersuggest. Quando estiver buscando as palavras-chave certas, não procure aquelas com maior tráfego, foque nas que também estejam relacionadas ao seu vídeo.
  • Mantenha as pessoas no YouTube – O YouTube não quer que as pessoas saiam do YouTube. Levar as pessoas para o seu site logo no início vai te prejudicar. E, se o seu vídeo não gerar engajamento suficiente, não vai dar certo. Você sempre pode usar a “introdução quente” para resolver esse problema (assista ao vídeo abaixo).

Agora que você já aprendeu os básicos e já viu meus números, vamos ver se o YouTube realmente vale a pena.

O YouTube vale a pena?

Eu queria dar uma resposta fácil de sim ou não, mas não é bem por aí. Depende muito de quais são os seus objetivos.

Mas não se preocupe, eu não vou te dar uma resposta sem sentido… O que eu vou fazer é mostrar cada cenário e dizer se você deve ou não usar o YouTube com base nos seus objetivos.

Eu também vou compartilhar minha própria experiência.

Receita de publicidade

Não é fácil conseguir milhões de visualizações mensais. Dependendo da área em que se está, alguns monetizam melhor do que outros quando o assunto são anúncios.

Mas o que eu tenho certeza é que, a não ser que você tenha um monte de visualizações (na casa dos milhões), a receita de publicidade não vai ser das melhores.

De acordo com a SocialBlade, eu poderia gerar uma receita mensal de US$173-US$2.800.

ad income

Com base na minha área, eu estaria entre o meio e o final desse valor, mas, mesmo assim, não é tão bom.

US$2.800 por mês em receita de publicidade não cobrem nem meus custos para produzir e editar os vídeos que eu veiculo mensalmente.

Então, se você quer monetizar apenas através de anúncios do YouTube, eu não recomendaria fazer isso. Não é tão lucrativo assim se você não mantiver seus custos de produção baixos e estiver em uma categoria na qual você consiga milhões de visualizações por mês.

Acordos de patrocínio

Eu sei que existem YouTubers famosos que ganham rios de dinheiro com patrocínios e apoios. Se você quer ganhar mais dinheiro com o YouTube dessa forma, eu não contaria muito com isso. É difícil, e, a não ser que você já tenha gerado milhões de visualizações por mês, você provavelmente não vai conseguir nenhum patrocínio.

Venda de produtos

Seja para produtos informativos ou físicos, o YouTube funciona extremamente bem.

Com base nos dados que eu tenho de outros YouTubers, eu geraria no mínimo US$35.000 por mês com o YouTube, podendo chegar a US$50.000 se eu levasse as pessoas a um webinário e vendesse um produto informativo de US$997.

Nada mal.

Eu não faço isso no meu canal do YouTube, mas funciona bem.

Meu amigo Adam faz isso no perfil do YouTube dele e se dá muito bem. Ele ganha um belo valor de seis dígitos por ano só promovendo produtos informativos nos vídeos dele no YouTube. Ele costuma vender os produtos dele por algumas centenas de dólares, dado que ele está no universo dos consumidores.

Eu sei que o Tai Lopez também aproveita bem essa estratégia, da mesma forma que uns 20 outros profissionais de marketing que eu conheço pessoalmente.

Ou seja, se você quer aproveitar o YouTube para vender produtos, você deveria pensar nessa possibilidade. Não é tão concorrido para se gerar tráfego e dá muito dinheiro para cada visitante gerado.

Construindo uma marca

Esse é meu principal uso do YouTube.

E, para esse propósito, tem funcionado bem para mim. Eu recebo inúmeros emails de pessoas dizendo que me encontraram no YouTube ou que adoram o conteúdo que eu venho produzindo.

youtube email

Para mim, não é uma coisa de ego, mas eu quero construir uma marca maior. Quanto maior for minha marca, mais fácil é para a minha agência fechar trabalhos de consultoria.

Imaginando que você veicule conteúdo em vídeo de boa qualidade, você vai ver que as pessoas vão se inscrever no seu canal, te seguir, se envolver com você e te conhecer melhor.

Se você for vender qualquer coisa no futuro, ter essa exposição a mais para a sua marca não vai fazer mal.

Se o seu objetivo é construir uma marca pessoal, o YouTube é ótimo. Ele não ajuda tanto com marcas corporativas, mas o investimento vale muito a pena de um ponto de vista de marca pessoal.

Se você está começando do zero (não só no YouTube, mas em geral), eu recomendaria que você focasse em uma marca corporativa, (o YouTube não vai ser tão eficaz para isso), mas se você já está super envolvido, como eu, continue investindo pesado na sua marca pessoal.

Então, para a construção da sua marca pessoal, o YouTube vale a pena. Para a construção de marcas corporativas, nem tanto.

Só com o YouTube, essa exposição a mais para a minha marca ajudou minha agência a fechar um pouco mais de US$320.000 em receita (não lucro), que eu sei com certeza, já que os clientes disseram que eles me acharam primeiro no YouTube.

Foi aqui que eu gerei meu maior ROI… Leads de consultoria. Embora eu não obtenha leads diretamente do YouTube, muitos dos meus clientes viram meus vídeos do YouTube.

Dois clientes meus me encontraram no YouTube (por isso a valor de US$320.000 acima), e inúmeros outros viram meus vídeos no YouTube.

Se você quer obter leads, o YouTube é um ótimo canal. Eu só não iria atrás desses leads desde o primeiro momento. Concentre-se primeiro em construir seu público e só depois de 5 ou 6 meses no YouTube leve as pessoas a uma landing page.

A razão para esperar para obter leads é que isso vai te ajudar a construir a autoridade do seu canal, então, uma vez que você faz com que as pessoas saiam do YouTube, você vai conseguir manter seu tráfego, e não ter uma queda nele.

A parte mais legal da geração de leads é que funciona bem tanto para B2B quanto para B2C. Com B2B, você vai obter menos leads, mas cada lead vai valer mais. Com B2C, você vai gerar mais leads, mas cada um deles vai valer menos.

B2B vs B2C

Falando em B2B e B2C, o YouTube funciona bem para os dois universos. Não importa em que mercado você esteja, o YouTube costuma funcionar.

Eu sei que eu disse acima que o YouTube não funciona tão bem para marcas corporativas como para marcas pessoais, mas isso não quer dizer que o YouTube não vá funcionar. Só quer dizer que marcas pessoais têm um resultado melhor.

Conclusão

De uma maneira geral, o YouTube vale a pena. Você só precisa encontrar a estratégia de monetização certa para você.

Algumas pessoas, como meu amigo Adam, usam o YouTube para vender produtos informativos enquanto monetizam através de anúncios, também.

Anúncios não geram tanto dinheiro para ele, mas quando você soma tudo, o valor da receita é bem bom. E você provavelmente vai estar no mesmo barco, ganhando dinheiro com o YouTube de várias maneiras.

Por exemplo, eu uso o YouTube para construir uma marca e obter leads.

O último conselho que eu tenho para você é usar vídeos em várias plataformas. Isso vai aumentar drasticamente o retorno sobre o seu investimento.

Eu subo meus vídeos no Facebook, YouTube e LinkedIn. Todo mundo fala do YouTube (eu inclusive), mas eu já tive mais sucesso em termos de receita subindo vídeos no LinkedIn do que no YouTube.

E não é porque o LinkedIn é mais popular, é só que eles são mais generosos em dar mais visualizações para os seus vídeos do que o YouTube, porque o algoritmo deles atualmente favorece bastante o conteúdo em vídeo.

Fonte: https://neilpatel.com/br/blog/youtube-marketing/

Comentários

comentários

Share This