(32) 3061-1694

Se você é um profissional de marketing, certamente já ouviu o termo. Pagerank é uma métrica criada pelo cofundador do Google, Larry Page, utilizada pela empresa – dentro do seu algoritmo – para identificar qual a relevância que um site ou página tem para o Google.

Ele foi criado em 1995 na Universidade de Stanford e seu nome deriva do sobrenome de seu criador: “Page”rank. “”Se você já trabalha com marketing digital, ou ao menos tem curiosidade sobre o assunto, você sabe da importância de mensurar tudo o que for possível.

E quando o assunto é SEO, o Google é um mestre em surpreender os profissionais do marketing digital.

Um bom exemplo é a revolução em 2011, quando a empresa lançou o update Panda, e a seleção de conteúdo ficou bem mais exigente.

Já não bastava mais repetir exaustivamente sua palavra-chave, o negócio passou a ser conteúdo mesmo.

Em 2012, veio o lançamento do Penguin, que fez mais exigências, jogando lá para baixo os sites com links de baixa qualidade.

Na verdade, todos saíram ganhando, visto que a qualidade passou a ser fundamental e o Google tem como lema “oferecer uma boa experiência ao usuário”.

O tempo foi passando e os profissionais estudando cada vez mais os algoritmos utilizados pela empresa.

Em 2016, a empresa informou aos usuários que não disponibilizaria mais as informações do pagerank dos sites.

É claro que existem técnicas que serão um grande auxílio para melhorar suas posições no ranking.

Nestes meus artigos, por exemplo, você vai encontrar tudo o que precisa saber para melhorar seu posicionamento.

E como conhecimento nunca é demais, também estendo o convite para acompanhar este artigo, pois nele você vai encontrar:

  • O Que é o Pagerank?
  • Afinal, o Pagerank Ainda é Uma Métrica Útil?
  • Como Funcionava o Pagerank?
  • Então, Como Saber o Meu PageRank?
  • Ferramentas Para SEO do Seu Website
  • Métricas Úteis Para Dimensionar o SEO do Seu Site
  • Dicas Para a Sua Estratégia de SEO

Atenção nas dicas e boa leitura!

O Que é o Pagerank?

A princípio, Larry Page desenvolveu o pagerank e posteriormente contou com a colaboração de Sergey Brin.

Na realidade, ele – o pagerank – foi a base para a existência do algoritmo do Google.

O pagerank de um site pode ficar entre 0 e 10, e relativamente poucos sites possuem um pagerank 10.

O Google e o site da Casa Branca possuem 10.

Só para você ter uma ideia de como trabalha o algoritmo, aqui no Brasil, páginas referência como a UOL e Terra, possuem um pagerank entre 6 e 8.

E como você já pode imaginar, quanto maior o pagerank, melhor será o posicionamento no ranking do Google.

E por que um algoritmo indecifrável desses?

Simples.

A grande sacada do Google foi saber como filtrar os sites, possibilitando à empresa o lugar de principal ferramenta de busca utilizada.

E vale ainda ressaltar que o google.com é o site mais acessado no Brasil e no Mundo.

E tudo isso se deve à qualidade dos seus serviços.

Como ferramentas de busca, que é o caso aqui, a empresa aponta os sites mais relevantes sobre quase tudo o que você procurar.

E estou falando “quase”, porque não seria correto afirmar com absoluta certeza que todos os assuntos podem ser encontrados.

O que antes se resumia a meta tags e densidade do uso da palavra-chave facilmente manipulados por muitos profissionais, virou uma espécie de “eleição”.

Eleição é uma palavra que muitos aqui no Brasil não querem ouvir, mas aqui a situação é diferente da política.

Imagine que os links do meu blog são utilizados em artigos de outras empresas (e são bastante utilizados mesmo) que são referências.

Para o Google, isso é um voto de peso: Uma empresa séria que aponta o meu blog como referência para o assunto que estão trabalhando.

E a cada novo link recebido, um degrau é avançado. E quanto mais sério o site que aponta, maior será a quantidade de degraus alcançados.

Deu para entender, correto?

Por isso usei a expressão “eleição”.

E para arrematar esse tópico, a conta é assim: O site que apontou para o meu blog, entre links internos e externos, totalizou 100 links em seu conteúdo.

Isto significa que cada link receberá 1/100 do total de pagerank que o site que apontou o meu blog tem direito.

Compreendido o que é pagerank e como funciona?

Ótimo!

Então agora podemos nos aprofundar mais no assunto. Vamos lá?

Afinal, o Pagerank Ainda é Uma Métrica Útil?

Algumas pessoas já me perguntaram se o pagerank ainda é uma métrica útil, ou seja, existem muitas dúvidas em relação ao tema.

Isso porque em 2016, a métrica deixou de ser acessível ao público.

Mas isso não significa que ela deixou de existir.

Mas se for para eu dar uma resposta simples, eu diria que não. O pagerank não deve receber toda a atenção quanto ao posicionamento do seu site.

Existem muitas outras métricas que você pode e deve utilizar para melhorar sua posição, então o pagerank pode ficar para os segundos planos.

Claro que sendo eu um profissional que trabalha seriamente com o marketing digital, fica até estranho me ver tornando uma métrica dessa magnitude em algo secundário.

Mas veja bem.

São tantas métricas que precisam ser consideradas para melhorar seus negócios online, que uma tão difícil de controlar se torna menos cotada.

Ainda mais em tempos que todos os dias surgem novidades no meio digital.

Mas posso dar a você três razões pelas quais estou afirmando isso:

Pouco Atualizada

Em média, as atualizações feitas pela empresa acontecem de três em três meses.

Dessa maneira, não vale à pena você ficar se preocupando diariamente com uma métrica atualizada com esse espaço de tempo.

Ao invés de se preocupar tanto com isso, você pode investir seu tempo e finanças em métricas mais relevantes, como:

  • Visitas orgânicas.
  • Conversões realizadas por essas visitas.
  • Quais páginas do site atraem mais pessoas.
  • Quais os sites que colocaram link do seu site, entre outros.

Não Está Diretamente Ligada ao Seu Posicionamento

Não existem regras severas para o marketing digital, e certamente o pagerank não escapa a essa afirmação.

Nada impede um site de pagerank 1 estar melhor posicionado do que um site com pagerank superior a isso.

Difícil Dimensionamento

Por se tratar de uma escala logarítmica, a precisão não é muito boa.

A falta das casas decimais tornam as possíveis comparações a serem feitas (visando melhores resultados) se tornem dispensáveis.

Como Funcionava o Pagerank?

Para ficar bem clara a maneira como o pagerank trabalha, imagine que ele trabalha com recomendações.

E essas recomendações são os links.

Imagine um portal com altíssima credibilidade, isto é, um pagerank elevado.

Esse portal coloca um link do site da sua corporação em seu conteúdo, pois o portal o considera um site de confiança e que tem relação com o termo abordado.

Essa “recomendação” vai elevar o pagerank da sua página, pois está sendo apontada por um site de confiança.

E claro que quanto mais links, maior será seu pagerank.

Então a métrica vai levar em consideração a relevância do site que colocou seu link, da quantidade de links para sua página e a qualidade do conteúdo.

Alguns outros detalhes que são considerados no pagerank são:

  • Velocidade do carregamento da página.
  • Domínio, alojamento, endereço IP.
  • Dados sobre o autor da página, entre outros.

Mas se quer um conselho de alguém que trabalha há mais de uma década com marketing digital, preocupe-se com a qualidade.

Ofereça conteúdo relevante para seu público que naturalmente seu posicionamento no ranking do Google vai começar a melhorar.

Link Juice X Pagerank

Antes de qualquer coisa, você sabe o que é link juice?

Se sabe, ótimo!

Se não sabe, não se preocupe. Vamos a uma breve explicação.

Acho correto informar que o link juice é a parcela de pagerank que é transmitida de um site para outro quando ocorre a recomendação.

E o que isso significa?

Significa que quanto mais links existirem na página, menor será a parcela de pagerank que os mesmos irão transmitir.

E por conta dessa característica, é fundamental saber fazer uma boa distribuição do link juice, visando sempre privilegiar os sites mais relevantes, transmitindo mais pagerank para eles.

Uma maneira de trabalhar com essa transmissão de pagerank para os sites é com a utilização da tag rel=”nofollow”.

Mas vamos falar sobre essa tag um pouco mais abaixo.

Por ora, para não perdermos o fio da meada, vamos continuar explorando um pouco mais os links, para que não restem dúvidas sobre como eles funcionam.

Links Internos

Os links internos – como já é possível imaginar pelo nome – são aqueles links disponibilizados em seu conteúdo que direcionam para dentro do seu próprio site.

Colocando em uma linguagem um pouco mais técnica, são links que possuem o mesmo domínio.

Essa característica facilita a navegação dentro do próprio site, proporcionando ao usuário uma melhor experiência.

Aqui mesmo, em meus artigos, você vai encontrar diversas palavras na cor laranja que, se clicadas, vão levá-lo a um conteúdo relacionado com a mesma.

Para entender qual a importância dos links internos para a posição no ranking do Google, imagine aquelas cenas de filmes de aventura em que tochas são colocadas para demarcar determinado caminho.

Elas servem como guia para o personagem que precisa trilhá-lo.

Os links internos funcionam da mesma maneira quando o algoritmo do Google faz uma visita em sua página.

Os links internos servem como guia para ele dentro do site.

Imagine que o algoritmo faz a visita na sua página e essa redireciona para outras páginas, no entanto não redireciona para uma página para contato.

O algoritmo, por si só, não vai ter acesso e, consequentemente, não vai encontrá-la.

Uma ideia bacana é disponibilizar um mapa da sua página e deixar disponível para os mecanismos de busca.

Não é uma certeza absoluta, porém é um método inteligente de contornar problemas como esse e ainda trabalhar melhor o SEO.

Se você consegue compreender essa relação entre os links internos, o conteúdo e a importância de estar em uma boa colocação do ranking do Google, já terá percebido o quão fundamental é trabalhar esses detalhes.

Links Externos

Os links externos possuem a mesma importância dos links internos.

E como também já se é de imaginar pelo nome, esses links apontam para conteúdos fora do seu domínio.

E tanto os links que apontam para o seu conteúdo quanto os links que apontam para conteúdos alheios, serão considerados links externos.

As vantagens de se trabalhar com esse tipo de técnica são diversas, mas vale destacar que o usuário é a pessoa que mais sai ganhando.

Isso porque os links externos normalmente são trabalhado de maneira a complementar o seu conteúdo, isto é, o usuário conta com uma riqueza maior de informações.

Para isso, procure linkar sempre para sites sérios, que trabalham um bom conteúdo, bem embasado e preparado.

Trabalhar com achismos não vai ajudar em nada na sua otimização no ranking.

Essa prática de fornecer mais e mais informações de qualidade para os usuários, independente se dentro ou fora do seu domínio, é muito bem vista pelo Google.

E claro que se outros sites utilizam links do seu site para complementar suas informações, o Google entende que seu conteúdo está servindo como referência.

se tornar uma referência é tudo o que os profissionais do marketing digital buscam.

E pode acreditar, isso também faz diferença na hora de definir sua posição no ranking do Google.

Então quando for trabalhar seu conteúdo, lembre-se: Qualidade é mais importante que quantidade.

De nada vai adiantar linkar para conteúdos artificiais.

Redirecione seu público para conteúdos de qualidade e trabalhe o seu conteúdo da melhor maneira.

Essa é a porta para se tornar uma referência.

Agora que ficou bem claro a importância dos links internos e links externos para sua estratégia de SEO, vamos falar sobre a tag citada.

Quando Utilizar e Quando Evitar a Tag rel=”nofollow” – ?

O atributo rel=”nofollow” é utilizado para quantificar seu link juice, ou seja, para quais sites você deseja colaborar com o pagerank.

Vou dar um exemplo para facilitar o entendimento.

Imagine que na sua página existem 13 links – entre links internos e links externos – e deseja transmitir o link juice para apenas três destes.

Para tornar isso possível, 10 destes links vão precisar contar com a tag rel=”nofollow”, pois é essa característica que vai impossibilitá-los de receber pagerank.

Dessa maneira, apenas três páginas irão dividir o pagerank que sua página é capaz de transmitir.

Deu para entender, certo?

Logo, é preciso escolher muito bem quais os links que não necessitarão do atributo rel=”nofollow”.

Vou continuar dando os exemplos para facilitar a compreensão.

Primeiro, vou citar alguns exemplos que deveriam contar com o atributo rel=”nofollow” para evitar a perda de link juice:

  • Logo;
  • Login;
  • Cadastro e registro;
  • Contato;
  • Política de privacidade e termos de uso;
  • Comentários, entre outros.

E os links que você não deve utilizar o atributo rel=”nofollow”, para que a passagem de link juice aconteça, são:

  • Cursos;
  • Tutoriais;
  • Produtos e serviços;
  • Artigos;
  • Blog;
  • Ferramentas, entre outros.

Sempre dê preferência por passar link juice para links que tenham a palavra-chave em seu artigo.

Hoje é bastante comum encontrar artigos com os links “Saiba mais”, “Clique aqui” ou “Leia o artigo completo”.

Nestes casos, utilize o atributo rel=”nofollow”.

Ao invés de liberar o link juice para o “Leia o artigo completo”, você pode liberar onde tenha o título do artigo.

Também é comum encontrar sites que utilizam o link “Home” em suas páginas iniciais, mas o ideal é utilizar a tag rel=”nofollow” nele.

Você poderá utilizar um link com as palavras-chave da página principal no rodapé do seu site, mas dessa vez, sem a tag rel=”nofollow”.

A utilização ou não do atributo rel=”nofollow” vai ser determinada por cada site, então procure priorizar as páginas mais importantes do seu site.

E nos links externos, dê preferência para os links com as principais palavras-chave em seu artigo. Isso vai ajudar na otimização do site.

Redirecionamentos X Pagerank

Meus amigos empreendedores costumam me perguntar:

“Neil, os redirecionamentos passam pagerank?”

Sim, eles passam.

Porém existem algumas declarações que afirmam que um redirecionamento 301 conta com um leve desconto.

Na verdade isso é fácil de compreender, pois o Google terá que caminhar mais, chegando no endereço original e redirecionado para um outro endereço.

Mas a verdade é que desde 2016, os redirecionamentos 301 e redirecionamentos 302 não contam mais com diferenças.

Mas que fique claro que estou falando que não há diferença quanto à perda de pagerank, certo?

Com dúvidas sobre redirecionamentos 301 e 302?

Sem problemas.

Vamos falar um pouco sobre eles também.

Diferente de alguns anos, os redirecionamentos vão gerar pagerank igualmente, porém o redirecionamento 302 deve ser usado para redirecionamentos temporários.

E o redirecionamento 301 deve ser utilizado para os redirecionamentos permanentes.

Isso tudo segundo os padrões da web para status code.

Então, Como Saber o Meu PageRank?

Acho que essa é uma das perguntas que mais ouvi durante alguns anos:

“Neil, já entendi tudo o que explicou. Mas agora me diga, como faço para saber o meu pagerank?”

Eu ficava um pouco na dúvida se realmente entenderam tudo com tanta pressa, mas entendo a urgência em querer saber a posição em que se encontra.

Pois bem.

Como eu disse acima, a Toolbar do Google não disponibiliza mais – nos dias atuais – o posicionamento das páginas.

O que muitos profissionais do marketing fazem é utilizar algumas métricas proprietárias que têm no documento original do pagerank um espelho para a elaboração de uma métrica similar.

E antes que comece a imaginar o tamanho dessa complicação, já adianto que não tem nada de complicado.

Na realidade, são três:

  • MOZ;
  • Domain Authority;
  • Page Authority;

Sobre o MOZ, vou falar logo abaixo a respeito.

Nesse momento, vamos entender sobre Domain Authority e Page Authority.

Domain Authority

A Domain Authority é uma métrica de mecanismo de busca criado pela MOZ (você já pode ter visto também SEOmoz).

Ela serve para estimar qual a posição alcançada por um site nos resultados de buscas realizadas em motores de busca.

Diferente do pagerank que vai de 0 a 10, o Domain Authority tem um escala que varia de 0 a 100.

E como você já pode estar imaginando, quanto mais alto o valor, melhor será o posicionamento no ranking.

E como é feito todo esse cálculo?

O Domain Authority utiliza alguns números para a análise, como o total de domínios, número total de links, MozRank, MozTrust, entre outros.

Todos esses dados são reunidos em um único número, que recebe o nome de Domain Authority.

Esse número pode ser utilizado para comparar os sites, gerando a possibilidade de o site ganhar o título de “autoridade” com o passar do tempo.

Page Authority

Assim como o caso citado logo acima, o Page Authority é a métrica que vai calcular qual a posição que será conquistada por uma página nos resultados de busca.

E da mesma maneira, quanto mais alto o número conquistado entre 0 e 100, melhor será o posicionamento conquistado.

Para que o Page Authority seja calculado, ele tem como base métricas da MOZ e do seu índice de páginas, o Mozcape.

Dessa maneira, uma página pode ganhar pontuação se a base de dados da MOZ estiver bem atualizada e com informações positivas sobre a sua página.

E também por esse motivo, pode ser que uma página recém criada demore algumas semanas para começar a apresentar um número de Page Authority.

Mas assim que atualizada, certamente vai aparecer.

Ferramentas Para SEO do Seu Website

Todas as pessoas que possuem um site, querem encontrar a melhor maneira de otimizar o SEO, e as ferramentas têm tornado esse serviço menos árduo.

Existem centenas de ferramentas no mercado e a tendência é que surjam ainda em maior quantidade com o passar do tempo.

Mas para que esse artigo não se estenda além do necessário, eu separei quatro que já serão de grande ajuda para você otimizar o SEO da sua página.

Algumas pessoas têm a sensação de que o SEO é algo novo, mas a verdade é que o termo Search Engine Optimization passou a fazer parte do vocabulário dos webmasters em 1997.

Um ano após o lançamento do Google.

No final de 2013, a ideia da produção de conteúdo virou uma febre e se espalhou no mundo virtual da maneira que todos conhecem: foi viral.

Me lembro que ouvir o comentário de que “o SEO morreu” com bastante frequência.

Estavam errados, afinal, quantas empresas hoje trabalham oferecendo ferramentas de SEO, não é verdade?

Algumas ferramentas têm como objetivo determinada etapa do processo, enquanto outras oferecem uma abrangência maior.

E já que voltamos a falar de ferramentas, vou falar para você sobre essas quatro que separei para o artigo.

MOZ

MOZ, sem dúvida, é uma das ferramentas de SEO mais focadas que existe no mercado mundial.

Ela conta com uma métrica própria que apresenta uma espécie de autoridade muito semelhante à proposta oferecida pelo Pagerank.

Inclusive já falamos sobre ela acima, o Page Authority.

Mas a empresa vai além, com um notável conjunto de ferramentas que podem ser utilizadas para análise, acompanhamento e otimização de sites.

Ela é responsável pelo Twitter Analytics e o rank checker (para verificar a posição no ranking dos mecanismos de busca), por exemplo.

Em sua versão Pro, o profissional ainda vai contar com mais funções de otimização e treinamento.

Costuma ser utilizado para boas estratégias de SEO e também é bem popular entre os profissionais de marketing digital.

A empresa oferece 12 ferramentas para facilitar o trabalho das pessoas que recorrem às ferramentas de SEO, como por exemplo o MOZ Analytics.

Com ela, será feito uma varredura na sua página, apontando diversas informações sobre seu posicionamento.

Também será possível identificar variáveis que poderão ser melhoradas para que o sucesso no posicionamento nos mecanismos de busca seja ainda maior.

De qualquer maneira, se você souber trabalhar bem com essas ferramentas, o sucesso será consequência.

Ahrefs

Você terá acesso a um valor incrível ao utilizar a suíte completa de ferramentas Ahrefs, incluindo uma das maiores e mais precisas databases de backlinks ativos.

São seis ferramentas distintas:

  • Site Explorer
  • Positions Explorer
  • Content Explorer
  • Position Tracker
  • Crawl Report
  • Ahrefs Alerts

Todas essas ferramentas são úteis do ponto de vista do link building.

O Site Explorer, por exemplo, fornece um perfil detalhado de backlinks para qualquer site, mostrando os seguintes dados:

  • Os sites que têm links para ele.
  • Os textos âncora utilizados.
  • O poder de cada backlink.

Isso pode ser usado para entender melhor seu perfil de backlink e também espionar seus concorrentes.

Também sou um grande fã do Ahrefs Alerts, que parte do princípio de que nunca deve deixar um backlink ou uma referência passarem despercebidos.

Você será notificado via email cada vez que você ou um concorrente receber ou perder um backlink.

Essa ferramenta também pode alertar quando alguém mencionar sua empresa ou uma palavra-chave específica.

Há centenas de milhares de pessoas usando o Ahrefs para link building e para melhorarem seus rankings em mecanismos de busca.

Eu sou um deles – há muitos anos – como você verá na homepage:

SEMrush

Não tem como negar que o trabalho freelancer tem crescido consideravelmente nos últimos anos.

As pessoas procuram esse tipo de serviço para complementar a renda ou mesmo para ter nesta modalidade sua fonte de renda principal.

As oportunidades de levar uma vida como freela são inúmeras, encontrando opções profissionais que abrangem diversas áreas.

Boa parte desse trabalho se baseia nas palavras-chave, e acredito que esse não seja novidade para nenhum profissional.

Aí entra o SEMrush, que é uma empresa que oferece ferramentas para o marketing digital que, por sua vez, fornece diversos dados sobre a concorrência.

Desde o desempenho do site nos mecanismos de busca até os dados de campanha das concorrentes, o SEMrush vai permitir o acompanhamento até mesmo das campanhas mais complexas.

E ele ainda possui recursos que permitem otimizar a página para as melhores performances de busca:

  • Auditoria in loco;
  • Confronto de palavras-chave do domínio;
  • Rastreamento de posição;

Screaming Frog

Screaming Frog também pode ser considerada uma das melhores e mais eficientes ferramentas para marketing de pesquisa.

Suas capacidades vão além do esperado, visto que simula robot/crawler para trazer resultados para que você possa analisar.

Sendo assim, a ferramenta oferece análises completas de SEO para as páginas.

Os resultados são disponibilizados em sistema de filtragem, permitindo a exportação para planilhas Excel.

Ele também faz uma avaliação que identifica possíveis ajustes que vão tornar a página mais amigável para os mecanismos de busca.

Ainda aponta links quebrados, meta tags de imagens, meta description de páginas e outros erros do seu site e no site da concorrência e simplifica e acelera processos lentos.

Seu funcionamento se assemelha ao programa JAVA e possui guias muito fáceis de navegação.

Você pode optar por exportar todos os dados ou parte deles para o Excel.

Essa característica facilita futuras pesquisas e comparações.

Métricas Úteis Para Dimensionar o SEO do Seu Site

Imagine todos os profissionais do marketing preocupados e de cabeça quente, sem saber ao certo o que fazer.

É o que acontece cada vez que o Google resolve atualizar algum algoritmo.

Muitos ainda brincam que a impressão que têm é que quando conseguem acertar todos os detalhes dos sites com os quais trabalham, o Google atualiza.

Brincadeiras à parte, essas atualizações são muito importantes, pois cada vez que acontece, o resultado das pesquisas se tornam mais relevantes.

É bem verdade que ninguém sabe com exatidão como funcionam os algoritmos da empresa, mas é possível chegar bem próximo ao resultado desejado quando se utiliza as ferramentas certas.

Elas serão as responsáveis por precisar o máximo possível as métricas, que são a base de toda a estratégia de marketing digital das corporações.

E se o número de ferramentas é inimaginável, imagine a quantidade de métricas que podem ser verificadas (…)

Quando o assunto gira em torno das métricas, o que posso garantir é que é impossível que um profissional determine, de uma maneira geral, quais as métricas todas as empresas devem utilizar.

Isso porque cada corporação sabe quais são suas principais necessidades.

Então o que cada uma pode fazer de melhor, é identificar quais são as métricas mais importantes para sua estratégia.

No entanto, existem algumas que certamente estarão na maioria das estratégias.

E são justamente essas que vamos compreender melhor agora.

Ainda que eu não possa dizer a você quais as métricas mais importantes para sua empresa, eu posso dizer algumas que são mais utilizadas.

Visitas Orgânicas

Nenhuma novidade.

Se você costuma acompanhar o meu blog, sabe o quanto eu falo sobre a importância do tráfego orgânico para suas estratégias de marketing digital.

O tráfego é a métrica mais importante que vai ter para trabalhar pois possibilita tudo o que vem depois: engajamento e conversão.

Mas o tráfego por si só não é um indicador claro de performance do seu conteúdo.

A real métrica em que você deveria estar prestando atenção é aumentar o tráfego com o tempo.

Todo site ou blog terá diferentes níveis de tráfego.

Alguns são melhores em SEO que outros. Outros estão por aí há mais tempo. Outros têm orçamentos de marketing capazes de alavancar os índices de tráfego.

Não há uma quantidade exata de tráfego que você deveria ter.

Cada blog e site têm objetivos e um limite de tráfego diferentes até as pessoas começarem a converter.

Mas todos os sites compartilham um objetivo em comum, que é aumentar o tráfego.

E uma excelente maneira de aumentar esse tráfego é com as visitas orgânicas, que exigirão um custo muito baixo (quando nenhum).

E a conquista dessas visitas orgânicas será através das estratégias para otimizar o SEO.

Se você está executando sua estratégia de conteúdo adequadamente, o aumento de tráfego ao longo do tempo será uma consequência.

Essa mudança no tráfego é um indicador claro de performance. Você deve registrar o que está vendo.

Conversão de Visitas Orgânicas

Aumento de visitas orgânicas é sinônimo de aumento de conversões na maioria das vezes.

Sobretudo se for a visita orgânica de um público engajado.

Para aumentar as chances de conversões, o primeiro passo a dar é trabalhar palavras-chave que vão converter:

  • Palavras-chave informativas: que são aquelas que ajudarão o visitante a obter informações sobre determinado tópico, produto ou serviço;
  • Palavras-chave comerciais: que são aquelas que incentivam as vendas, ou seja, que são trabalhadas com o intuito comercial;
  • Palavras-chave “compre agora”: que são as palavras utilizadas por usuários que já estão prontos para converter;
  • Palavras-chave de ofertas e produtos: que são as palavras-chave que servem como um empurrãozinho para o usuário que está quase certo da conversão;

Elas serão responsáveis por atrair a atenção do usuário.

Nesse momento, preocupe-se em oferecer conteúdo de valor, pois ele será o responsável por manter o usuário em seu site.

Ofereça soluções e não o produto ou serviço em si. Isso afasta as pessoas.

Reconheça a dor do seu público-alvo e identifique qual a melhor solução que sua marca pode oferecer para ele.

E sempre trabalhe um bom CTA.

E claro que em conjunto com isso tudo, trabalhe as melhores técnicas de SEO para que posicionamento melhore.

Acompanhe os resultados após as otimizações.

Se notar que as conversões do tráfego orgânico, saberá que as novas maneiras de disponibilizar seu conteúdo estão surtindo efeito.

Lembre-se que você sempre pode fazer testes para saber como seu conteúdo está sendo recebido.

CTR

Certamente você já ouviu falar na sigla CTR (Click Through Rate).

Ela é uma métrica ligada aos anúncios online, ou mais especificamente, ela verifica a eficácia dos anúncios online.

A fórmula utilizada por ela é justamente essa acima.

Quanto mais próximo ou maior for o número de cliques, maior vai ser a qualidade do anúncio criado.

O número a ser analisado dependerá do tipo de estratégia que está sendo trabalhada.

Observe esse exemplo:

  • Como métrica para vendas – Vantajoso pois ele vai mostrar o número de interessados através dos cliques que o anúncio levou.
  • Reconhecimento da marca – Não é vantajoso pois esse tipo de estratégia tem como objetivo saber o número de visualizações, e não de cliques.

Use o CTR com sabedoria, para que não exista nenhum tipo de desperdício: nem de tempo, nem financeiro.

Visitantes Únicos

Usuários são os visitantes únicos.

Visitantes únicos contabilizam apenas uma vez durante um período de tempo.

Por exemplo, as pessoas que visitam meu blog todos os dias são contabilizadas apenas uma vez quando eu somo o total de usuários do mês.

As sessões contam cada vez que alguém entra no seu site, independentemente de ser a primeira vez desse usuário ou não.

Então, se você lê o meu blog uma vez por semana, isso conta como 4 sessões por mês.

Ambas as métricas têm valor por diferentes razões. O que realmente nos importa é a mudança no tráfego ao longo do tempo.

Monitore todo mês e veja como isso muda.

Alinhe com o conteúdo que você postou.

Depois, isole os meses em que as coisas deram realmente certo e veja o que você fez nesse tempo.

Quando algo funciona, você deve insistir.

Você pode aprender as melhores práticas e começar a adotá-las à medida que progridem, e, ao mesmo tempo, eliminar coisas que não contribuem para o aumento do tráfego

Número de Sessões

Essa é uma métrica do Google Analytics.

Sessão é um conjunto de ações que os usuários executam na sua página.

Se o usuário não realizar nenhum tipo de atividade dentro de 30 minutos dentro de sua página, então a sessão é finalizada.

Se ele saiu da página e voltou após passados 30 minutos, ele terá realizado duas sessões, mas se voltar antes desse tempo, a sessão será contada como uma.

Exemplo:

O usuário encontrou sua página através de uma busca no Google, então ele se interessou por outro artigo, fez o download de um conteúdo e tudo levou cerca de 50 minutos.

Essa será interpretada como uma sessão da mesma forma, pois a cada interação em nova página, uma nova contagem de meia hora se inicia.

Também é possível configurar campanhas que se encerram às 23h59, sendo finalizada a cada novo dia.

E ainda sessões que se iniciam a cada nova pesquisa realizada pelo usuário.

Quantidade de Backlinks

Falamos sobre a importância das recomendações para elevar o pagerank, e é justamente a mesma coisa na métrica que analisa a quantidade de backlinks.

Os backlinks são todas as vezes que sua página é linkada em uma página.

Tecnicamente os backlinks contam as menções feitas em sites alheios, em locais da internet ou até mesmo dentro do próprio site.

Mas na maioria dos casos, os backlinks são compreendidos como os links externos.

E como métrica, a quantidade de backlinks certamente darão uma boa proporção do alcance do conteúdo e de como ele está sendo avaliado pelas outras pessoas.

Mais backlinks é sinônimo de maior alcance da marca.

Links Externos Que Geram Tráfego

Você pode utilizar a métrica que avalia o tráfego gerado nos links externos, isto é, toda vez que um visitante chega ao seu site através de recomendações em outros locais da internet.

Mas vale lembrar que as recomendações que você faz dentro do seu site também podem gerar tráfego, visto que as pessoas tendem a confiar em matérias que citam sites de confiança.

Saiba avaliar essa métrica com inteligência.

Dicas Para a Sua Estratégia de SEO

Um pequeno bônus para você que acompanhou o artigo até aqui:

Certamente você sabe que aqui no meu blog vai encontrar dezenas de dicas para que consiga otimizar seus resultados.

No entanto, vou falar brevemente sobre isso, visto que o pagerank está diretamente relacionado às estratégias de SEO.

Vamos lá.

Conteúdo de Valor

Você já definiu sua persona, correto?

Então, à partir de agora, você vai escrever para ela.

E a melhor maneira de fazer isso, é se colocando no lugar dela, compreendendo suas necessidades e imaginando o que gostaria de encontrar em um conteúdo que abordasse o tema.

Esse é o esqueleto do seu conteúdo: a dor do seu público.

Não deixe de embasar muito bem suas ideias, cite cases de sucesso, estatísticas, disponibilize infográficos e cite exemplos.

Trabalhe seu conteúdo na linguagem que seu público vai receber melhor.

Por exemplo:

Se o conteúdo oferecido é um ebook para profissionais que trabalham com engenharia da computação, utilize a linguagem técnica e formal.

Agora, se é um público jovem interessado em consumir conteúdos sobre moda, utilize a linguagem informal e dispense os termos técnicos.

Certo?

A identificação do público tem muito a ver com a maneira como o site se comunica.

Trabalhe Bem as Suas Meta Tags

Para que não restem dúvidas, vamos relembrar o que são as meta tags.

Meta tags são linhas de código HTML que fazem, por exemplo, a descrição do seu site para os buscadores.

Nelas você vai colocar as palavras-chave que irão facilitar a busca pela sua página.

E também uma forma de assinar a sua página, indicando sua autoria sobre o código fonte.

Claro que simplesmente adicionar meta tags no código fonte do seu site, não vai colocá-lo em uma melhor posição.

Mas nem por isso elas devem deixar de ser usadas, sobretudo com inteligência.

Elas poderão ser trabalhadas de duas formas:

  • Palavras-chave: Inclua uma quantidade de palavras-chave que tenham relação com seu conteúdo, não ultrapassando a quantidade de 150 palavras.
  • Descrição: Será uma ou duas frases que o mecanismo de busca vai apresentar como um resumo do seu conteúdo, contendo 90 caracteres no máximo.

Crie Uma Estratégia Sólida de Link Building

Você pode trabalhar a sua estratégia de link building em cinco simples etapas:

  • Guest Post: Você vai desenvolver artigos para outros blogs, como uma espécie de “participação especial” no blog alheio, e o dono do blog vai permitir que você coloque um link no conteúdo ou na descrição do autor.
  • Links dos concorrentes: Aqui você vai fazer uma análise dos links da sua concorrência e descobrir oportunidades que eles tiveram e você ainda não (links), e utilize o Excel para identificar os domínios com maiores Trust Flow e Domain Authority.
  • Links dos clientes: Descubra quais clientes possuem sites com as melhores métricas e encontre maneiras de conquistar um link deles, o que na realidade não é uma técnica incomum.
  • Menções da marca sem links: Tecnicamente é simples, pois você terá que avaliar as menções feitas sobre sua marca ou até mesmo o seu nome e entrar em contato com cada um deles (no caso de não existirem links, apenas menção).
  • Traduzir conteúdos: É bastante comum trabalhar com traduções, pois alguns temas ainda não se encontra em português, mas aqui a ideia é entrar em contato com o autor, pedir para traduzir seu conteúdo e que ele coloque o seu link como uma versão.

Trabalhe Bem Suas Redes Sociais

2,8 bilhões de pessoas utilizavam redes sociais até o final de 2016, segundo a Hootsuite em uma pesquisa divulgada no início de 2017.

Só isso já basta para entender: Você precisa estar lá!

Seja participativo, responda sempre que possível, entregue conteúdo de qualidade e compartilháveis.

E se quer saber tudo sobre as redes sociais e como conquistar seu espaço e o sucesso, não deixe de ler o artigo:

Redes Sociais: Tudo Sobre as Principais Redes Sociais da Atualidade.

Faça Parceria Com Digital Influencers

Hoje em dia, o sonho da maioria dos profissionais do marketing (se não de todos) é se tornar um digital influencer.

Para os que ainda não conseguiram atingir esse patamar, fazer uma parceria com algum deles pode ser uma excelente maneira de crescer.

Isso porque eles vão citar a sua marca para o seu grande público.

Então mãos à obra:

  • Conheça o gosto da sua persona;
  • Pesquise os influenciadores que poderão trabalhar seu conteúdo;
  • Tenha um plano B pois nunca dá para saber quais resultados o influenciador trará;
  • Encontre a agência ou o agenciador do influenciador digital;
  • Comece a criar o relacionamento;
  • Negocie os valores;
  • Dê liberdade para o influenciador digital trabalhar à sua maneira;
  • Envie uma amostra do seu produto ou serviço para o influenciador digital;
  • Ofereça algo para os seguidores dele;
  • Verifique com atenção o material desenvolvido pelo influenciador digital;
  • Mensure os resultados.

Conclusão

Como você viu aqui, pagerank não deve ser a sua métrica principal, mas deve sim existir uma atenção para ela.

Dessa maneira, trabalhe seu conteúdo com inteligência e sempre voltando-o para seu público.

Faça parcerias com pessoas que trabalhem da mesma forma.

Estude constantemente pois quando menos se espera, o Google atualiza seus algoritmos e nós precisamos estar antenados.

Trabalhe o SEO.

Aqui mesmo no meu blog você vai encontrar muitas dicas para realizar esse trabalho da melhor maneira possível.

Trabalhe com determinação e responsabilidade, pois essas são as principais características de todo profissional.

Seguindo essas dicas, a otimização de resultados será apenas uma consequência, e não uma luta constante.

E na sua empresa, qual é a preocupação com o pagerank?

Fonte: https://neilpatel.com/br/blog/pagerank/

Comentários

comentários

Share This