(32) 3061-1694

Quer saber como bombar as redes sociais do seu negócio? O consultor de marketing digital Fernando Souza, que atua há mais de 13 anos no mercado, participou de uma transmissão online com os seguidores da SumUp. Durante a conversa, ele explicou como as redes sociais podem ajudar a divulgar e aumentar as vendas das pequenas empresas.

Segundo Souza, o primeiro passo para quem quer começar a usar as redes sociais é escolher em quais plataformas a sua empresa precisa marcar presença. Em seguida, prepare o terreno antes de divulgar os perfis do seu negócio na rede social. Ou seja, apenas depois de dez ou quinze postagens chega a hora de chamar as pessoas para seguirem a página do seu negócio.

Para manter um perfil nas redes sociais é preciso compromisso. As publicações precisam ser planejadas com uma boa frequência de postagens. Em plataformas como o Facebook e o Instagram, por exemplo, postar ao menos uma vez por dia é o ideal.

Isso porque, quando você libera um conteúdo, ele não chega a todos os seus seguidores de forma orgânica. É preciso investir para que o alcance da sua página aumente — e essa é uma das estratégias para bombar as redes sociais do seu negócio.

Confira 7 dicas do especialista Fernando Souza para começar ou melhorar a presença do seu pequeno negócio nas redes sociais!

1. Por que as redes sociais são importantes para o pequeno negócio?

As redes sociais são essenciais para o pequeno empreendedor divulgar o seu negócio, uma vez que ele tem menor capacidade financeira para investir em publicidade em comparação com uma média ou grande empresa — que pode usar veículos como jornais, revistas, rádios e televisão.

As redes sociais também são as plataformas por onde o dono do pequeno negócio consegue se relacionar diretamente com os consumidores.

Além disso, elas podem ser usadas como vitrines para exibir os produtos e trabalhos ou para falar sobre promoções e dia a dia da empresa. Assim, é possível mostrar como os processos funcionam e colocar o cliente mais próximo do negócio.

2. Qual a função de cada rede social nos pequenos negócios?

É importante não generalizar todas as redes sociais usadas hoje no Brasil, como se elas funcionassem da mesma forma. 

De acordo com Fernando Souza, plataformas como o LinkedIn, por exemplo, estão mais próximas de negócios que lidam com outras empresas — o chamado B2B. Segundo o especialista, o espaço mais corporativo pode ser um canal interessante para a “pequena estamparia que vai fornecer serviços de fazer camisetas e brindes para outras empresas”. 

Já o YouTube demanda do dono do negócio maior profundidade e frequência no conteúdo postado. A plataforma é o segundo maior buscador do mundo e deve receber gravações com grande potencial de busca.

“Enquanto no Instagram a gente consegue colocar vídeos curtos e pequenas coisas do dia a dia, o YouTube demanda um pouco mais de produção e estrutura”, afirma Souza.

Consideradas mais populares, redes como Instagram Facebook conseguem acolher uma maior variedade de tipos de negócios e empreendedores.

Segundo o consultor, o Facebook pode receber conteúdos com capacidade de gerar um pouco mais de discussão. Também pode ser uma ferramenta interessante se você tem interesse em usar o Facebook para impulsionar suas vendas.

“Eu costumo brincar que, de todas as redes sociais, o Facebook é o que mais se parece com uma pracinha. Tudo que existe em torno das praças, no geral, vai se dar bem no Facebook: o pequeno comércio, varejo, coisinhas pequenininhas do dia a dia.”

Já o Instagram, mais voltado para fotos, pode ser o lugar ideal para negócios com apelo mais visual, como os dos setores de moda, beleza, gastronomia e arquitetura.

Twitter, que completa a lista das redes sociais mais usadas no Brasil, pode ser um pouco mais difícil para o dia a dia do pequeno empreendedor. A plataforma demanda uma velocidade de atualização maior do que as outras redes.

3. Preciso estar em todas as redes sociais?

Um pequeno negócio não precisa estar em todas as plataformas disponíveis! A hora do empreendedor é considerada a mais cara do negócio e, com uma boa gestão de tempo, ele deve priorizar as vendas e a produção às publicações na internet.

“Entre a boleira fazer um bolo ou um post no Facebook, fazer o bolo vai ser mais importante”, comenta Fernando Souza. “O importante é entender a afinidade com a plataforma e onde seu público está.” Para saber qual a rede social mais usada pelos clientes do seu negócio, vale o velho boca a boca: converse com eles para descobrir.

Além disso, na hora de escolher em quais redes sociais o seu negócio terá um perfil, também é preciso considerar a afinidade do próprio empreendedor com as plataformas. “Onde o seu público se sente bem e onde você se sente bem é um bom lugar para começar esse trabalho”, completa Souza.

4. Devo interagir com os clientes pelas redes sociais?

Sim! A ideia das redes sociais é exatamente a interação entre as pessoas. Como dono de um negócio, é importante focar na questão humana do atendimento ao cliente e responder aos consumidores que entrarem em contato pelo perfil empresarial.

Mesmo que a demanda de comentários seja grande e comece a exigir mais tempo do empreendedor que toca as redes sociais do negócio, é preciso pensar no engajamento do público.

“Quanto mais você consegue interagir, maior a entrega”, afirma o consultor. “E tem a questão humana, de que as pessoas gostam de se sentir acolhidas, gostam receber uma resposta”, completa.

5. Como lidar com as críticas?

É normal ter medo de receber uma crítica de consumidores pelas redes sociais. Mas, assim como na vida fora da internet, é muito difícil ignorar um comentário negativo.

Ou seja, pelas plataformas o usuário também deve receber uma resposta — ainda que ele não tenha gostado muito do seu produto ou serviço.

Na hora de lidar com os comentários negativos, existem situações em que é possível (e até aceitável) excluir uma opinião negativa. Quando um cliente usar expressões ofensivas ou xingar um funcionário ou a empresa, por exemplo, você pode ocultar ou deletar aquele comentário.

6. Quando e como começar a investir em anúncios nas redes sociais?

As pequenas empresas também podem e devem, assim que o orçamento permitir, investir em propaganda de redes sociais como Instagram e Facebook.

Segundo Fernando Souza, a entrega orgânica, que é o alcance das suas publicações sem nenhum impulsionamento financeiro, está cada vez menor e com uma tendência de diminuir ainda mais.

Isso porque a produção de conteúdo está aumentando, assim como o número de usuários nas redes sociais. O impulsionamento das publicações pode elevar a visibilidade do negócio e deixar a página do seu negócio mais competitiva.

“O valor inicial para investir no Facebook, no Instagram e até mesmo no Google e no YouTube é de R$ 1,00 por dia”, afirma o especialista. “Então, para boa parte dos empreendedores, já dá para começar a fazer alguns testes — e o quanto antes, melhor”, comenta.

Lembre-se que estes investimentos devem fazer parte do planejamento financeiro do negócio, ainda que sejam pequenos!

7. Quando contratar alguém para cuidar das redes sociais?

De acordo com Fernando Souza, a hora certa para contratar um profissional para cuidar das redes sociais do seu negócio é quando a empresa estiver com um pouco mais de recurso financeiro.

Somado a isso, também é preciso levar em conta se os perfis e as interações nessas plataformas já começaram a ganhar mais importância no dia a dia da empresa e se o tempo gasto pelo próprio empreendedor nas redes sociais está prejudicar outras atividades.

“Chega a hora em que é possível equilibrar um pouquinho as contas e ter alguém que faça o serviço com um valor que não vai prejudicar a empresa, dando um pouco mais de fôlego para esse empreendedor conseguir olhar mais para o negócio”, aposta Fernando Souza.

Fonte: https://www.donodonegocio.com.br/comece-o-sonho/como-bombar-redes-sociais/

Comentários

comentários

Share This