(32) 3061-1694

São a única coisa para as quais profissionais de SEO não otimizam.

Eu não sei por que a maioria dos profissionais de SEO ignoram essa métrica, já que ela é tão importante para o Google.

Veja, o Google não está nem aí para colocar no topo o site com mais backlinks ou aquele com o melhor SEO on-page… Eles querem colocar no topo o site que você e outras pessoas mais adoram. 

É por isso que eles prestam atenção aos sinais dos usuários.

Mas se você não sabe bem o que são sinais dos usuários, dê uma olhada nesse experimento feito pelo Rand Fishkin, sobre o qual eu falei em um post recente.

Ele mostra que se todos que fizessem uma busca no Google clicassem no quarto resultado da lista ao invés do primeiro, ele subiria para o topo quase que instantaneamente.

Não estou dizendo que você deve falar para os seus usuários clicarem nos seus links em vez dos seus concorrentes. O que você deve fazer é focar no usuário. Afinal, se você conseguir fazer com que eles gostem do seu site, você vai ranquear mais alto com o tempo.

Eu e minha equipe achamos que seria legal dar uma olhada nas contas do Google Analytics de sites que nunca foram negativamente afetados por atualizações do algoritmo do Google para ver que tipo de sites o Google mais gosta de ranquear (e os sinais dos seus usuários).

Vendo as métricas relacionadas aos usuários, como taxas de abandono, tempo no site, visualizações de página por visitante (e 5 outros sinais) nós chegamos aos benchmarks que você deve procurar alcançar.

No fim das contas, nós analisamos 518 sites. Mas antes de analisar nossas constatações, seguem algumas observações sobre os dados:

  1. Cada site deveria estar no ar por pelo menos 3 anos. Nós não analisamos nenhum site muito novo porque eles não estariam no ar por tempo suficiente para saber se o Google os amava ou odiava.
  2. Cada site tinha pelo menos 5.000 visitantes mensais a partir do Google.
  3. Nós excluímos os sites na lista do top 1.000 da Alexa. Até porque, nós não tivemos nenhum dado para compartilhar de nenhum desses sites.
  4. Nós excluímos qualquer empresa que gerasse mais de US$100.000.000 em receita. Eu sei que parece alto, mas a gente precisa de um teto. Quando você começa a ver os dados de empresas muito grandes, eles começam a ficar distorcidos.
  5. Nós encaixamos os sites em 10 categorias diferentes e olhamos tanto sites B2B quanto B2C.
  6. Todos os dados foram coletados usando o Google Analytics e o Google Search Console.

Vamos começar.

Sinal do usuário nº 1: Taxa de abandono

Você já ouviu falar no termo taxa de abandono? E você sabe que ela deve ser o mais baixa possível. Mas, antes de entrar nesse assunto, vamos conceituar bem o termo:

A porcentagem de visitantes de determinado site que saem dele depois de visualizar uma única página.

Nós constatamos que o Google adora sites que têm uma taxa de abandono entre 26% e 69%:

bounce rate

Com base no tipo de site que você tem, sua taxa de abandono ideal deve ser o mais próxima possível (senão melhor) dos sites acima.

Se a sua taxa de abandono é mais alta, basta seguir esses 13 passos para ajudar a reduzi-la.

Sinal do usuário nº 2: Otimização para mobile

Praticamente 60% de todas as buscas são feitas em dispositivos móveis.

Pelo fato de mais pessoas buscarem no Google usando dispositivos móveis e pelo fato de o Google ter um índice mobile-first, pensamos que seria prudente verificar se os sites queridos pelo Google são otimizados para mobile.

mobile friendly

Como você pode ver, todos os 518 site eram otimizados para mobile. Em quase todos os casos, eles não tinham um site “separado” só para mobile, apenas um site responsivo.

Isso também faz sentido, porque atualmente é necessário pensar primeiro no mobile quando se está desenvolvendo ou criando um site.

Se o seu site não for responsivo, você precisa resolver isso o mais rápido possível.

E eu sei que alguns de vocês provavelmente estão se perguntando sobre AMP. A maioria dos sites que olhamos não estavam aproveitando o framework AMP, já que eles não eram todos blogs.

Sinal do usuário nº 3: Tempo médio de carregamento

Essa é a única métrica que não obtivemos pelo Google Analytics ou pelo Search Console. Nós analisamos cada site pelo Pingdom.

average load time

Em geral, quanto mais rápido seu site carregar, melhor a sua situação. Por que fazer as pessoas esperarem 5 ou 10 segundos para o seu site carregar? Eu particularmente não gosto de esperar.

Não é só o Google usa isso como um fator no seu algoritmo, mas também quanto mais lento for o carregamento do seu site, menos vendas você vai gerar.

Se um site de e-commerce está gerando US$100.000 por dia, um segundo de atraso no tempo de carregamento vai custar US$2,5 milhões em vendas perdidas anualmente.

Se você quer melhorar seu tempo de carregamento aos olhos do Google, dê uma olhada nessa ferramenta deles, Page Speed Insights. Ela especifica exatamente o que você precisa corrigir.

Não se preocupe em atingir uma pontuação perfeita, só a mais alta possível.

Sinal do usuário nº 4: Porcentagem de visitantes repetidos

Ninguém sabe quais são os fatores exatos que o Google usa no seu algoritmo.

E ninguém consegue comprovar se o Google usa dados do Google Analytics, Chrome ou barras de ferramentas (até onde eu sei). Mas se eu fosse chutar, eu diria que há grandes chances, desde que seja legal.

Um dos sinais que eu observaria são visitantes repetidos. O fato de alguém sempre voltar a um site diz ao Google que ele gera lealdade e que as pessoas o adoram.

repeat visitors

Como você pode ver pelo gráfico acima, sites com bom desempenho no Google têm entre 16% e 45% visitantes repetidos.

Quando se está no começo, seu número de visitantes repetidos vai ser extremamente alto, porque vão ser só você e seus amigos entrando no seu site toda hora.

Mas, conforme você cresce, você vai notar que ela vai cair para menos de 10%. Para fazer com que os visitantes voltem sempre para o seu site, você deve usar ferramentas como o Subscribers.

É uma ferramenta simples. Ela usa notificações no navegador para levar as pessoas de volta para o seu site.

push traffic

Como você pode ver pela captura de tela cima, eu usei o Subscribers para trazer 42.316 pessoas de volta para o meu site 174.281 vezes.

Sinal do usuário nº 5: Porcentagem de tráfego de busca a partir de pesquisas de marca

Eu já postei sobre isso anteriormente e inclusive mostrei como meu tráfego de busca começou a subir conforme cresciam minhas pesquisas de marca.

Só para recapitular, eu vi que conforme mais pessoas buscavam por “Neil Patel” ou variações do nome, o Google começou a ranquear meu site para outros termos como “marketing digital”.

Depois que eu percebi que pesquisas de marca ajudavam, eu passei a dedicar mais tempo para construir uma marca. Agora, em um mês comum, eu gero por volta de 40.412 visitantes mensais a partir de termos relacionados à minha marca:

brand queries

Eu inclusive gero 3.806 pesquisas de marca no YouTube:

youtube searches

E não sou só eu. Sites que dominam o Google também têm as pesquisas de marca como uma parte considerável do seu tráfego de busca.

brand searches

E esses sites não estão só fazendo com que as pessoas busquem as marcas deles, mas grande parte dessas buscas levam de volta para seus sites. Em outras palavras, as pesquisas de marca têm uma alta taxa de cliques.

brand queries ctr

Se você quer dominar o Google, você precisa construir uma marca.

Quanto maior for sua marca e mais leal a ela as pessoas forem, mais tráfego de busca você vai obter com o tempo.

Se você não sabe bem como construir uma marca, dê uma olhada na dica número 3 desse post que eu escrevi há pouco tempo.

Sinal do usuário nº 6: Taxa de cliques

Falando em taxa de cliques, a gente achou que seria interessante analisar o Google Search Console para ver a taxa de cliques de todos esses sites.

search traffic ctr

A maioria dos sites tinha uma taxa de cliques entre 1,9% e 3,1%.

Se o seu site tem uma taxa de cliques baixa, você pode melhorá-la seguindo esses 13 passos.

Meu melhor conselho é sempre fazer testes A/B com suas tags de título e meta descrição para tentar torná-las mais atraentes, para que mais gente queira clicar no seu resultado de busca em vez do seu concorrente.

Sinal do usuário nº 7: Visualizações de página por visitante

Se alguém sempre navega pelo seu site e visita várias páginas, você deve estar fazendo a coisa certa, porque isso quer dizer que as pessoas gostam do seu conteúdo, produto, serviço ou seja lá o que for que você está oferecendo.

Claro, você pode burlar o sistema escrevendo um post bem longo, colocando só algumas centenas de palavras em cada página e fazendo com que as pessoas cliquem em um botão “próximo” para continuar lendo.

Mas essa é uma experiência de usuário horrível e você não quer fazer isso.

Você quer que as pessoas queiram visitar várias páginas do seu site espontaneamente, sem que você precise enganá-las.

Quantas visualizações de página por visitante sites com altas posições nos rankings têm? A média é a seguinte:

pageviews per visitor

Se você quer aumentar suas visualizações de página por visitante, é só seguir as dicas nesse post.

Sinal do usuário nº 8: Tempo médio no site

Você não quer que as pessoas saiam do seu site… A não ser que elas estejam ali para comprar alguma coisa ou clicar em um anúncio.

Você quer que elas fiquem no seu site o máximo de tempo possível.

time on site

Como você pode ver na tabela acima, sites bem ranqueados pelo Google conseguiram reter os visitantes por pelo menos 1,6 minutos, se não até 5 minutos.

Eu sei que a marca de 5 minutos é um pouco difícil, mas se você consegue manter as pessoas no seu site por mais de 2 minutos, você já está indo muito bem.

Além disso, as chances de você sofrer uma penalidade do Google Panda são menores.

Esse post vai te ensinar a como manter as pessoas mais tempo no seu site (sem enganá-las).

Conclusão

Para dominar o Google, você precisa pensar como o Google. Não se trata só de burlar o sistema e dar um tapa no seu site para que o Google adore você.

Se trata mais de entender o objetivo primordial deles, que é colocar o usuário em primeiro lugar.

Isso significa que, se você colocar o usuário em primeiro lugar, a longo prazo, seus rankings também vão começar a subir.

Mas isso não significa que você deve ignorar práticas normais de SEO, como SEO on-page e link building e sim que você deve fazer tudo isso além de focar no usuário.

E aí, como estão suas métricas em relação aos benchmarks acima?

Fonte: https://neilpatel.com/br/blog/sites-nunca-penalizados/

Comentários

comentários

Share This