(32) 3061-1694

Show! Sua estratégia de aumento de tráfego está dando retorno. Investir em SEO deu certo pelo visto, o número de acessos aumentou consideravelmente nos últimos meses.

Eita! A infraestrutura do seu site não suportou todo o acesso gerado por meio das estratégias de SEO. Pelo visto você ficou tão maravilhado, vendo no Analytics que o tráfego ao seu site estava maior, que acabou não dando a devida atenção aos bastidores do seu site. Que vacilo!

Ufa! Você aprendeu com o erro cometido, reuniu toda sua equipe (desde TI até o time de vendas) e colocou todo mundo na mesma página: “De nada adianta trazer mais tráfego se o site não suporta!”. Diretrizes realinhadas, agora pode ficar mais tranquilo com os acessos.

Por mais que seja associado à equipe de marketing, o SEO não é uma tarefa apenas destes profissionais. Sim, eles realizam a pesquisa de palavras-chaves para o negócio, setam as campanhas e mais uma infinidade de tarefas necessárias, mas isto é apenas a ponta do iceberg.

Nesse artigo irei te mostrar o porque SEO e a infraestrutura de um site devem estar sempre bem alinhadas para que os objetivos da empresa sejam alcançados.

Como a infraestrutura de um site impacta a estratégia de SEO?

Não é muito difícil chegar à resposta dessa pergunta. Ora, pensemos: se estratégia SEO foca em trazer mais e mais pessoas ao seu site, o mínimo que o site tem que fazer é suportar a quantidade de acesso esperada.

Logo, se há uma infraestrutura precária (hospedagem ruim, baixa disponibilidade, site lento, performance ruim e etc) a equipe de marketing está gastando tempo e recursos em uma ótima estratégia, mas que, por falta de alinhamento de toda a empresa, foi inútil.

Isso observando a uma infraestrutura ruim, pois o contrário é o melhor dos mundos. Quem gerencia site sabe o quão bom é saber que seu site não vai sair do ar, independente da quantidade de acessos simultâneos que estiver recebendo, pois tem uma boa infraestrutura por trás de tudo.

Viu só? A equipe de TI precisa prover uma boa estrutura para que as demais equipes possam realizar suas atribuições. E, no caso se não conseguir prover, independente da razão, precisa estar preparada para “apagar incêndios” gerados pelos mais diversos motivos. 

Existe uma série de fatores no desenvolvimento de um site que impactam na velocidade, usabilidade e SEO do projeto final.

Mas afinal, quais são os requisitos que definem a qualidade da infraestrutura de um site?

O que é uma infraestrutura deve ter?

Uma boa Infraestrutura é aquela que consegue entregar, com o melhor desempenho possível, todos os acessos das páginas de um site e complementos que eles precisam, isso claro, seguindo as práticas solicitadas pelo mercado.

E quais são essas práticas?

Existem várias, mas irei listar algumas a seguir:

  1. Hospedagem: Há vários planos de hospedagem no mercado, como a Hospedagem Compartilhada, Servidor Dedicado e Cloud Server, cada qual com seu diferencial. Este item vai influenciar na performance dos seguintes, por isso a hospedagem deve ser escolhida com atenção.
  2. Velocidade: Este é um diferencial para qualquer site, usuários não querem esperar mais do que 3 segundos para lerem sobre o que pesquisaram. Inclusive, o Google recomenda que os sites indexados pela plataforma não demorem mais do que 1,5 segundos de carregamento.
  3. Usabilidade: Eu não vou falar de responsividade, isso é muito 2013 para ser abordado. Quem tem presença online já sabe da importância de ter um site otimizado para qualquer usuário. Nesse quesito da usabilidade, o usuário precisa ter uma ótima experiência quando navegar pelas páginas do site, para que sinta confortável em se manter ali por mais tempo.
  4. Segurança: Como usuários, buscamos encontrar formas de garantir que estamos acessando um ambiente seguro e o Google (assim como os demais buscadores) sabe disso. Por isso é imprescindível que os sites tenham certificados. Sites sem “https” não são bem vistos pelos robôs do Google.
  5. SEO: Sim… ele deve estar presente desde o planejamento do site. As páginas precisam ser criadas já otimizadas para serem encontradas pelos motores de buscas, as palavras-chaves do seu negócio precisam estar presentes nos lugares corretos.

Em resumo: uma boa infraestrutura é feita da junção das boas práticas citadas e harmonia entre o time de marketing e a TI. Afinal, um necessita das ações do outro para aprimorar o seu trabalho.

Por que SEO e infraestrutura devem unir forças?

Para começar que estão no mesmo time e, sendo assim, possuem os mesmos objetivos.

Em esportes coletivos, como o futebol, por exemplo, as conquistas só são alcançadas se todos os envolvidos agirem em união e sem individualismo. Você consegue imaginar um time de futebol ganhando títulos com apenas um jogador tendo um ótimo desempenho? Uma ou outra jogada individual pode dar certo, mas no final, o time tem que agir como um time se quiser triunfar.

Agora, imagine que uma empresa/site é como um time de futebol, no qual cada “jogador” tem a sua função pré-estabelecida para que o coletivo possa alcançar o objetivo maior. Assumindo que a empresa é um time, a bola precisa sair da defesa (TI) e chegar ao ataque (time de vendas) para que se tenha a chance de fazer o gol (vender). E quem faz o meio-campo? O marketing.

Inevitavelmente para um site estar disponível para o usuário final é necessário que uma equipe de TI provenha a infraestrutura necessária. Com essa parte garantida, o Marketing tem a tranquilidade de aplicar estratégias que levarão tráfego ao site, sendo capaz de captar leads para a equipe de vendas converter no último estágio do funil de vendas.

Viu como cada etapa desse “jogo” precisa de sincronia dos envolvidos? Agora, se não houver sincronia entre todos, a estratégia cai por terra. Uma boa infraestrutura, que adotou as melhores práticas do mercado, alinhada às estratégias de SEO da empresa é fundamental para triunfar, do contrário coisas como retrabalho, equipe frustrada, usuários do site insatisfeitos, perda de dinheiro, aumento da bounce rate e etc. Tudo isso influencia a saúde de seu site.

Com a estratégia de SEO dando resultado, com o aumento de tráfego pro site e a infraestrutura dando conta do recado é natural que a performance aumente e seja um fator a mais para um melhor rankeamento das páginas.

Frações de segundos já fazem a diferença entre uma experiência ótima, uma mediana ou uma ruim.

É primordial que todos os jogadores, sem exceção, saibam a regra do jogo e como os adversários jogam. Com todos na mesma página contornar situações imprevistas, como queda de acessos, podem ser contornadas mais facilmente.

Esteja preparado para o usuário superexigente: O Google

Os usuários da internet são exigentes, não têm paciência e querem tudo pra ontem. Por que afirmo isso? Porque sou usuário e, assim como você, existem coisas que me irritam quando navego pela web. 

Estamos a um palmo de distância de qualquer rede social, podemos publicar coisas boa e ruins sobre o que bem entendermos, inclusive experiências com empresas. A tendência é o foco ficar mais sobre as coisas ruins do que nas boas, tanto que existe um Reclame Aqui, mas não um Elogie Aqui. Você já pensou nisso?

Os robôs do Google evoluíram, seus algoritmos são atualizados constantemente. Em sua história o Google já lançou vários algoritmos, como o Panda,  Penguin, Hummingbird e Hankbrain. Todos estes algoritmos buscaram melhorar a experiência dos usuários, eliminando táticas antiéticas praticadas por muito tempo, como o blackhat.

Com toda essa evolução, os robôs estão cada vez mais se comportando como usuário e menos como robôs, simulando a experiência do usuário. O nível de exigência de usuários humanos já é alto, agora imagine um superusuário? Este que tem, literalmente, o poder de decidir qual página é relevante, forçando (positivamente) os sites a produzirem conteúdos mais ricos que contribuem para o leitor.

Dos diversos fatores de rankeamento utilizados pelo Google, é possível escolher uma tríade principal: o EAT, acrônimo para as palavras em inglês “Expertise, Authority e Trustworthiness” ou “Expertise, Autoridade e Confiança”. Estes três itens são essenciais aos sites basearem seus conteúdos e possuírem aquilo que o superusuário deseja.

E como ter conteúdos relevantes para esse superusuário? Primeiro, como tudo na vida, é necessário planejamento. Entender para quem se escreve e se colocar no lugar de quem vai ler. Não produzir conteúdos vagos, nem simplistas. Seus artigos devem procurar responder sem enrolação as dúvidas dos usuários, sempre adequadas ao tipo de pesquisa realizada.

Entenda que existem 4 tipos de buscas no Google: informacional, transacional, navegacional e local.

  • Informacional: a depender de seu estágio na jornada de compras, o usuário ainda não sabe que precisa de uma solução. Ele apenas tem dúvidas e quer que alguém as tire da forma mais prática possível, pode pesquisar coisas como “como declarar imposto de renda”

Exemplo de pesquisa informacional no google.

  • Transacional: nesse tipo de busca o usuário já tem em mente algum produto, e faz a pesquisa para comparar preços e coisas do tipo. O Google consegue entender o usuário e mostra fotos e preços do item pesquisado, como por exemplo “mouse sem fio”.
Exemplo de pesquisa transacional no Google
  • Navegacional: nesse o usuário quer visitar algum site, mas não lembra ou não sabe a url correta. Para isso ele joga no Google “site oficial Marília Mendonça”, assim consegue um atalho para o site destino.
Exemplo de pesquisa navegacional no Google

Local: para essa pesquisa o usuário quer soluções próximas a ele, como por exemplo, descobrir pizzarias, restaurantes, pet shops e etc. Podendo ser mais específico ainda “restaurantes em Brasília” 

Exemplo de pesquisa Local no Google

Por isso, é muito importante que se observe o mercado inserido e entenda o comportamento de busca do consumidor. Para que quando pesquisas com palavras-chave do seu negócio forem realizadas, a sua marca apareça para as pessoas certas.

Busque mais maneiras de responder perguntas de usuários. As pessoas utilizam cada vez mais o Google como um amigo, fazem perguntas e o Google, por sua vez, vem buscando mostrar as respostas para o usuário na própria tela de pesquisa (SERP), forneça em seu html snippets para que o buscador mostre àqueles usuários que não querem ler todo o artigo para ter sua resposta.

Compreendendo como o consumidor busca, suas estratégias de SEO serão mais assertivas. Inclusive, aumente o nível (e qualidade) de suas ações em SEO.

Tenha em mente: se o Google se comporta como usuário, logo, o usuário quer sites que deem a informação o mais rápido possível, se o site não dá, ele parte para outra. Com isso sobe a bounce rate do site e a confiabilidade abaixa, perdendo pontuação no rankeamento.

Cria conteúdo SEO-friendly

Ideas para estar entre os 10 melhores resultadosFaça um teste!

Evolua sua estratégia SEO: é hora do SEO Técnico!

Dominar SEO técnico passa por entender em sua totalidade como funcionam os motores de busca, principalmente o Google. Para isso, deve-se entender o processo realizado para páginas web serem rastreadas, indexadas e rankeadas. Para rankear uma página os robôs realizam uma extensa pesquisa pela web realizando as seguintes etapas:

  1. Crawling: os robôs do Google rastreiam páginas da web, descobrindo novas.
  2. Indexing: o Google guarda páginas em banco de dados, mas não significa que indexa todas as páginas encontradas.
  3. Ranking:  o algoritmo analisa com base em mais de 200 fatores para determinar a posição dos sites.

Kevin Inding traz a definição de SEO técnico dada por Alexis Sanders, gerente técnico de SEO, em que ele diz que “SEO técnico abrange a parte de rastreamento, indexação e renderização do modelo de ‘rastreamento, indexação e ranqueamento’.

Ou seja, SEO técnico exige que os profissionais entendam todo o processo que os motores de busca criaram. Mas não basta apenas entender as etapas de crawling, indexing e ranking, o SEO técnico requer atenção em três pontos: Legibilidade, Usabilidade e Site Speed. Eles impactam três metas nas quais os buscadores focam muito: CTR, Páginas por Sessão e Taxa de Rejeição.

Estruture a estratégia idealizando que o usuário mais exigente irá visitar sua página, assim você entregará o site ideal. Tenha em mente os três pontos que SEO requer atenção citados do parágrafo anterior.

  • Legibilidade: pense na experiência do usuário, desenvolva um ambiente confortável. Tenha URLs limpas, faça uso correto das tags de conteúdo. Desenvolva textos fluidos e bem estruturados, pense em legibilidade não apenas para quem enxerga, mas também aos deficientes visuais (eles também acessam a internet), utilize do atributo alt nas imagens. E utilize corretamente as tags h1, h2, h3, h4… foque nas palavras-chaves, mas não exagere, você deve agradar o usuário e ler a palavra repetida várias vezes não é legal.
  • Usabilidade: um site precisa ser claro, os links precisam direcionar para o endereço correto e em caso de erros, a página precisa mostrar ao usuário como navegar para outra página. Por isso um sitemap é imprescindível. A navegação precisar ser fácil, o usuário não precisa pensar muito para entender um comando. Outro ponto a verificar são os backlinks (link do semrush audit) que apontam para o site, essa auditoria tem de ser feita semanalmente para que o seu site não seja visto como perigoso pelo google.
  • SiteSpeed: se não for rápido será ignorado. Simples assim. Construa páginas leves para que quando muitos acessos forem feitos ao site não haja sobrecarga no servidor. Inclusive, foque em contratar um bom servidor de hospedagem que permita expandir (ou contrair) espaço quando for necessário. Sites mais rápidos têm menos chances de abandonos, esteja sempre abaixo dos 3 segundos, teste a velocidade do seu site, há ferramentas para isto.

Notou que há semelhanças entre SEO técnico e infraestrutura? E se há semelhanças porque não juntá-las? Para isso esse artigo foi pensado, para ser capaz de mostrar que SEO e infraestrutura não podem agir de formas diferentes, necessitam agir de forma conjunta. Assim como o processo de SEO é contínuo, a infraestrutura precisa ser. E não apenas aparecer em momentos pontuais quando acontece algum problema no site.

Conclusão

Nesse artigo você viu que a infraestrutura do site e a estratégia de SEO devem “jogar no mesmo time” para que os objetivos da empresa sejam alcançados com o mínimo de perda possível. 

Você também viu que uma boa infraestrutura deve aplicar as melhores práticas do mercado para prover o máximo de performance aos usuários. E lembre-se: para ter uma ótima infraestrutura, uma boa hospedagem é fundamental. Pesquise as disponíveis no mercado e escolha a que mais se adequa às suas necessidades.

Bem, espero ter conseguido mostrar a importância de todos os integrantes da equipe estarem alinhados nos objetivos da empresa. 

E qualquer feedback será bem-vindo, estou disponível para debater o tema.

Fonte: https://pt.semrush.com/blog/seo-e-infraestrutura-de-site-devem-caminhar-juntos/

Comentários

comentários

Share This