(32) 3061-1694
 A otimização dos mecanismos de busca está mudando constantemente.

Parece que foi ontem que trabalhar apenas com palavras-chave era uma estratégia de SEO eficaz para ranquear no Google.

À medida que o Google realiza cada vez mais atualizações no algoritmo para acompanhar os usuários, começamos a observar grandes mudanças no SEO.

Tudo aquilo que for norma ou prática comum neste momento pode se tornar obsoleto em alguns anos.

O Google realiza em torno de 500 a 600 atualizações de algoritmo anualmente.

Às vezes, pode ser difícil determinar quais atualizações irão de fato influenciar nas práticas de SEO e afetar diretamente os rankings.

Em 2017, o Google realizou milhares de atualizações em seu algoritmo.

E algumas destas atualizações foram muito importantes, tendo um grande impacto em sites existentes.

Alguns deles sofreram grandes perdas de tráfego e ranking.

Neste artigo, irei apresentar algumas das atualizações mais importantes realizadas pelo Google em 2017 e mostrar como estes algoritmos podem preparar você para o SEO em 2018.

Vamos lá!

Um resumo das atualizações de 2017

Em 2017, foram realizadas algumas atualizações muito importantes que podem esclarecer como a indústria SEO irá mudar em 2018.

Nesta seção, irei falar detalhadamente sobre as maiores atualizações de 2017 e o que elas significam.

No primeiro dia de fevereiro, o Google liberou uma atualização sem nome algum (porém, muito importante). Segundo a Search Engine Land, houve um período de grandes mudanças no algoritmo entre o dia 1 e 6 de fevereiro.

Evidências da SEL mostram que esta atualização continha uma ou duas grandes mudanças.

Eles notaram que a comunidade black hat de SEO estava reclamando e alegando que suas táticas não estavam mais funcionando tão bem.

Muitos especularam que o Google implantou a atualização para melhor desconsiderar links de spam ou links com autoridade relativamente baixa.

No dia 7 de fevereiro foi lançada outra atualização, tendo impactos ainda maiores.

A G-Squared Interactive relatou que esta outra grande atualização impactou de forma positiva a visibilidade de alguns sites:

pasted image 0 430

No entanto, enquanto alguns sites foram impactados positivamente, outros sofreram resultados negativos:

pasted image 0 436

Quando o Google implementa uma atualização desta magnitude, seus efeitos costumam ser perceptíveis através dos rankings de palavras-chave.

É possível observar, por exemplo, uma palavra-chave subir de cinco a dez lugares em apenas um dia.

A G-Squared Interactive, por exemplo, descobriu que a atualização impactou várias das suas palavras-chaves:

pasted image 0 448

Algumas destas palavras-chave sobem no ranking imensamente, subindo mais de 40 posições quase instantaneamente.

Mas afinal, o que aconteceu?

Basicamente, o algoritmo do Google começou a varrer os sites que não tinham a qualidade que eles inicialmente pensavam ter.

Ou seja, o Google deu a eles um ranking menor.

A GSQi notou que o Google começou a rebaixar os sites com pouco engajamento por parte dos usuários.

Por exemplo, sites com menus ruins e interfaces do usuário de baixa qualidade ou sites com canais de anúncios enganosos e opções excessivas de monetização.

O Google penalizou alguns sites que estavam utilizando muita paginação para fazer com que os usuários clicassem por 38 páginas para finalizar um artigo:

pasted image 0 438

Isso resulta em uma experiência do usuário horrível em troca de uma promoção melhorada e mais facilitada de anúncios nos sites.

Mas o Google não gosta disso nem um pouco, eles querem fornecer a melhor experiência possível de busca na internet.

Ou seja, esta tática não irá mais funcionar.

A atualização impactou da mesma forma conteúdo escasso e de baixa qualidade.

pasted image 0 444

Geralmente, conteúdo escasso é conteúdo curto e que existe somente para direcionar tráfego.

O objetivo dele é direcionar este tráfego para outras áreas do site. Logo, o conteúdo é apenas uma ferramenta que não agrega em nada a experiência do usuário.

Outra parte importante da atualização incluía impactos baseados na usabilidade mobile dos sites.

Se o seu site não está bem otimizado para mobile neste momento, você irá cair nos rankings.

A GSQi percebeu que sites com usabilidade mobile de baixa qualidade e links quebrados estavam passando por maus bocados com o Google:

pasted image 0 421

Caso a sua experiência mobile esteja abaixo da média, você provavelmente está perdendo tráfego e posições nos rankings.

Além disso, o Google liberou outra grande parte da atualização que trata dos anúncios enganosos.

pasted image 0 412

Eles desaprovam fortemente anúncios enganosos, e não somente por questões de segurança. A experiência do usuário é um dos maiores fatores que eles têm em mente.

Ao invés de criar conteúdo com o intuito de ajudar os usuários, anúncios enganosos são inseridos no conteúdo para parecerem mais um link qualquer.

Porém, estes links têm levado os usuários para outros sites perigosos, cheios de malwares.

O Google não aceita que anúncios sejam inseridos dentro do conteúdo tão bem que os usuários não possam diferenciá-los.

Isso se aplica tanto para os sites maliciosos quanto para os sites que incorporam conteúdo apenas para vender links afiliados.

Além dos anúncios enganosos, o Google também começou a penalizar os sites que não estavam se importando com a experiência do usuário.

Sites que utilizavam anúncios na dobra da página sofreram grandes perdas nos rankings.

pasted image 0 420

Caso os seus anúncios estejam afastando o conteúdo dos usuários, você está encrencado.

Já é ruim o suficiente você estar desenvolvendo uma péssima experiência do usuário para os usuários comuns querendo ler o seu conteúdo, e agora que o Google está começando a notar isso, será pior ainda.

Esta atualização foi grande.

Mas não foi a única atualização importante de 2017 que iria prever grandes mudanças na forma como conduzimos estratégias SEO.

No dia 8 de março, o Google liberou uma atualização que agora nos referimos como “Fred”.

A atualização Fred foi a última atualização confirmada pelo Google focada em sites violando as diretrizes para webmasters.

Especificamente, em sites de baixa qualidade no estilo de blogs com um foco na geração de lucro por anúncios.

A Search Engine Land disse o seguinte:

“Caso decida exibir anúncios, se certifique de que as páginas em que são encontrados sejam de alta qualidade e forneçam muitas informações amplas e relevantes”.

Essencialmente, o Google abordou novamente os sites com conteúdo escasso, assim como aqueles que estavam tentando burlar o sistema através de páginas de afiliação.

Se o seu conteúdo contém links afiliados que claramente não auxiliam os usuários, o Google irá te penalizar.

Alguns destes sites de baixa qualidade e cheios de anúncios sofreram perdas gigantescas de tráfego orgânico no Google:

pasted image 0 432

Estas grandes atualizações do Google em 2017 causaram um grande alvoroço na comunidade SEO.

Acompanhar as mudanças de comportamento dos usuários têm se tornado uma tarefa cada vez mais difícil.

O Google está constantemente fazendo o possível para fornecer a melhor experiência para o usuário.

E isso significa que tem sido complicado delimitar que estratégias específicas de SEO funcionem.

Mas, com todas estas atualizações sendo liberadas, podemos ter uma boa ideia do que 2018 tem a oferecer.

Veja agora o que estas atualizações de algoritmo podem te ensinar sobre o SEO em 2018.

O conteúdo do futuro é completamente inclusivo e aprofundado

Conteúdo é rei, e tem sido assim há anos.

Mas não é qualquer conteúdo que irá direcionar tráfego e adquirir melhores posições nos rankings.

O Google está cortando conteúdo pobre e escasso que não direciona bom tráfego.

Devido as atualizações de 2017 realizadas pelo Google, conteúdos escassos sofreram consideravelmente.

A GSQi disse o seguinte sobre isso:

“Os sites que eu chequei estavam anteriormente ranqueando para as palavras-chave direcionando para aquele conteúdo, mas eles ou escolheram manter o conteúdo escasso lá ou não estavam cientes deste conteúdo escasso”.

Logo, conteúdo escasso não irá mais funcionar.

Outra forma de perceber isso é observar o impacto nos rankings dos rich snippets do Google.

image242

Eles soltaram uma grande atualização para os rich snippets que eliminou conteúdo que não estava resolvendo os problemas dos usuários.

O Google ou eliminou ou deu um impulso nos rankings para os rich snippets, dependendo da qualidade ou relevância do conteúdo.

Eles eliminaram conteúdo pobre e escasso e deram um grande impulso para conteúdos aprofundados e de qualidade.

Tudo isso nos diz um aspecto importante sobre o futuro do conteúdo e SEO em 2018:

Conteúdo aprofundado se tornará mais importante do que já é.

Você precisará de conteúdo que aborda diversos tópicos e subtópicos.

Antigamente, ao se trabalhar com SEO, o conteúdo em si não era tão importante quanto incluir coisas como:

  • Sua title tag
  • Palavras-chave de permalink
  • ALT text para imagens
  • Tags H1, H2 e H3

No entanto, agora, a qualidade e autoridade do conteúdo são os fatores mais importantes para se preocupar.

A Backlinko descobriu recentemente que a autoridade do tópico do conteúdo era extremamente importante para alcançar altas posições nos rankings do Google:

pasted image 0 423

Quanto maior a autoridade do tópico, melhores as posições nos rankings.

Conteúdo focado em explicações aprofundadas de cada tópico e subtópico apresentado fará com que você ranqueie mais alto.

Veja agora alguns métodos que eu utilizo para escrever conteúdo aprofundado que ranqueia alto no Google sem receber penalidades.

Escreva postagens mais longas.

Recentemente, a Orbit Media entrevistou mais de 1.000 blogueiros para adquirir informações sobre as últimas tendências na área dos blogs e marketing de conteúdo.

Eles descobriram que tanto os blogueiros quanto os profissionais de marketing estão passando cada vez mais tempo escrevendo conteúdo:

pasted image 0 419

A maioria dos escritores de conteúdo têm gasto de uma a quatro horas para finalizar uma única postagem de blog.

O tempo que eles gastavam escrevendo em 2016 era mais ou menos três horas, apenas:

pasted image 0 413

É importante notar também que o tamanho de uma postagem comum de blog em 2016 era algo por volta de mil palavras, somente.

pasted image 0 446

Os tamanhos das postagens de blog têm crescido cada vez mais ao longo dos anos.

Isso está diretamente atrelado às atualizações focadas na qualidade de conteúdo realizadas pelo Google.

Um dos dados mais impactantes expostos pelo estudo da Orbit Media foi o número de blogueiros reportando os “grandes resultados” de seus conteúdos.

Veja o que os dados mostraram:

pasted image 0 440

Quanto maior o tamanho do conteúdo, melhores os resultados.

Blogueiros escrevendo conteúdo com mais de 2.000 palavras conquistaram os melhores resultados.

Por outro lado, conteúdo escasso com menos de 1.000 ou 500 palavras tiveram os piores resultados.

Aliás, a Backlinko encontrou dados que comprovam estes autodeclarados “grandes resultados”:

pasted image 0 434

A contagem total de palavras do conteúdo estava diretamente relacionada com os primeiros lugares de uma SERP.

Se o seu conteúdo é grande, você tem melhores chances de ranquear nos primeiros dez lugares.

SEO em 2018 estará focado em conteúdo, mas não qualquer conteúdo.

Você precisará escrever postagens de blog mais longas em 2018 que abordem tudo o que for possível.

Veja uma forma de fazer isso facilmente:

Utilize palavras-chave de LSI para informar seu foco.

Palavras-chave de LSI, também conhecidas como palavras-chave de indexação semântica latente, serão necessárias para o SEO em 2018.

Para exemplificar, palavras-chave de LSI para um tópico geral como basquete podem variar desde tênis de basquete para jogadores ou dicas de arremesso.

Elas adicionam contexto para o seu conteúdo e expandem o alcance para além do tópico original.

Você pode abordar diversos subtópicos utilizando palavras-chave de LSI, o que ajudará a dar o seu conteúdo o aprofundamento necessário que o Google está exigindo em 2018.

Uma das minhas formas favoritas de usar palavras-chave LSI é gerar conteúdo relacionado com elas.

Por exemplo, você pode pesquisar palavras-chave de LSI através do LSIGraph:

pasted image 0 418

Insira o seu tópico no gerador de palavras-chave para começar.

Digamos que você queira escrever um conteúdo longo e aprofundado sobre marketing de conteúdo.

Escreva este tópico na barra de pesquisa:

pasted image 0 428

Clique em “Gerar” para produzir uma lista cheia de palavras-chave de LSI:

pasted image 0 414

Você irá notar rapidamente que estes subtópicos inseridos na pesquisa do seu conteúdo original estão intimamente relacionados.

Minha tática favorita facilmente implementável é basicamente pegar estas palavras-chave de LSI e utilizá-las para estruturar o seu conteúdo!

Por exemplo, cada uma destas palavras-chave pode se tornar um novo subtítulo H2 para a sua postagem de marketing de conteúdo.

Deixe-me demonstrar:

pasted image 0 416

Você pode rapidamente estruturar um artigo utilizando estas palavras-chave.

Vejamos:

Primeiro subtítulo: Exemplos de marketing de conteúdo para seguir

Segundo subtítulo: Dicas de marketing de conteúdo para ser bem-sucedido

Terceiro subtítulo: Como desenvolver um plano de marketing de conteúdo

CTA no fim da postagem: Download de modelo de marketing de conteúdo

Ao utilizar palavras-chave de LSI, eu pude gerar um conteúdo completamente inclusivo que contém até mesmo uma isca digital.

O Google está procurando por um tipo de conteúdo detalhado que os usuários possam acessar sem precisar ler dez postagens de blog separadas.

Repita este processo para cada artigo que você escrever e utilize o gerador de palavras-chave de LSI para informar-lhe sobre o seu conteúdo futuro em 2018.

A experiência do usuário está mais importante do que nunca

Atualmente, a experiência do usuário é extremamente importante quando se trata de conteúdo online.

Agora o objetivo não é apenas ranquear nos resultados de busca, ao invés disso, é necessário fornecer uma experiência completa e com conteúdo de qualidade.

As atualizações recentes do Google em 2017 traçam um panorama para os anos que estão por vir, e tudo leva a experiência do usuário.

Desde o foco em mobile às penalidades de anúncios, nós já conseguimos observar esta tendência nascendo.

Sites mobile que não estão otimizados para a experiência do usuário estão sofrendo consequências negativas.

E isso faz todo sentido, visto que o tráfego mobile ultrapassou o tráfego desktop:

pasted image 0 424

Embora a maioria das pessoas ainda utilizem diversas plataformas, como desktop e mobile por exemplo, o crescimento tem sido estável.

pasted image 0 426

Caso entre na sua conta do Google Analytics e perceba que tanto o mobile quanto o desktop estão resultando em compartilhamentos, mas você não está priorizando o mobile, pode ter alguns problemas.

pasted image 0 422

Nas últimas atualizações, o Google deixou claro que iria penalizar os sites que fossem difíceis de navegar em dispositivos móveis.

Se certifique de que o seu site mobile está funcionando corretamente ao testá-lo na ferramenta do Google Test My Site.

pasted image 0 415

Além de proporcionar um teste de velocidade, a ferramenta também avisa caso algo esteja faltando ou se há algo que você possa melhorar para fornecer uma experiência do usuário aprimorada.

Outro grande aspecto da experiência do usuário é a exibição de anúncios. O Google declarou que fortes penalidades seriam implementadas para sites de conteúdo com anúncios acima da dobra.

pasted image 0 442

Para evitar isso, tente integrar seus anúncios mais naturalmente através do conteúdo.

Certifique-se de não focar seu conteúdo apenas nestes anúncios.

Somente insira anúncios em conteúdo relevante. Criar conteúdo apenas para implementar anúncios é o que o Google está procurando penalizar.

Ao invés disso, eles querem que você adicione anúncios relevantes em conteúdo de qualidade já estabelecido.

pasted image 0 417

Isso mostra que você não está tentando burlar o sistema e direcionando tráfego somente para visualizações e lucro de anúncios.

O Google quer fornecer uma ótima experiência do usuário. Criar conteúdo escasso que apenas direciona visitas para anúncios não irá funcionar.

Basicamente, isso irá resultar em um grande aumento da sua taxa de rejeição (fato que o Google irá notar rapidamente). Isso também pode resultar em mudanças significativas no seu ranking.

Priorize sempre a otimização da experiência primeiro, para só depois trabalhar na exibição de anúncios.

Conclusão

A otimização dos mecanismos de busca muda rapidamente.

O que antes era regra em SEO não se aplica mais.

Táticas se tornam obsoletas rapidamente devido as atualizações que têm se tornado cada vez mais frequentes.

Todo ano o Google implementa grandes atualizações que causam tumulto na crescente comunidade SEO.

Algumas destas atualizações têm impactos significativos em rankings e tráfego.

E algumas são ótimas indicações sobre as tendências futuras de SEO.

O Google procura fornecer aos usuários a experiência mais natural e aprimorada possível.

Mas isso nunca é uma boa notícia para os SEOs que procuram burlar o sistema.

Aqueles que encontraram as melhores maneiras de enganar o sistema legalmente com táticas eficazes agora têm sofrido as consequências.

Em 2017, o Google liberou uma atualização chamada de “Fred” junto de várias outras atualizações não confirmadas.

Estas atualizações abordam tudo desde anúncios à links afiliados e sites com conteúdo escasso.

Com esta atualização, podemos perceber que o futuro do SEO terá um foco em conteúdo completamente inclusivo e aprofundado.

Os anúncios enganosos e a criação de conteúdo apenas para exibir anúncios não irá mais funcionar.

O conteúdo precisa ser de qualidade, não escasso.

A experiência do usuário tem consistentemente se tornado um dos aspectos mais importantes da evolução do Google.

Para ser bem-sucedido no SEO em 2018, priorize a otimização para o usuário, não para os mecanismos de busca.

O que você pensa sobre SEO e sobre as consequências das atualizações de 2017 para o ano que está por vir?

Fonte: https://neilpatel.com/br/blog/melhor-hack-seo/

Comentários

comentários

Share This